24 de agosto de 2005

Sonia Gandhi


Namaskar

Sônia Gandhi cancelou sua viagem oficial já marcada para os Estados Unidos pois essa iria coincidir com a viagem do Primeiro Ministro Mamohan Singh e ela não quer ofuscar e dissipar a atenção para com o PM (Primeiro Ministro).

Hoje eu gostaria de falar um pouquinho sobre essa grande mulher – Sônia Gandhi.

Sônia nasceu em uma pequena vila na Itália, em uma família muito humilde e pobre; ela era muito bonita e trabalhava como aeromoça. Uma verdadeira beleza italiana e uma moça doce, delicada e sensível.

Rajiv Gandhi, filho da então Primeira Ministra Indira Gandhi, era piloto de aviao e apaixonou-se por Sônia e casou-se com ela.

Casamento de família rica indiana com pobre estrangeiro não é bem-vindo aqui na India. Como nós estrangeiros não temos castas, os indianos não sabem como nos classificar.

Rajiv trouxe Sonia para viver na Índia junto com sua mãe Indira Gandhi.

Viver com uma sogra indiana não é nada fácil. Eu sei bem disso pois tive que morar com a minha por dois anos!

Eles tiveram 2 filhos, um menino (Rahul) e uma menina (Priyanka).

Infelizmente, Rajiv Gandhi, seu esposo e pai de seus filhos, morreu ainda muito jovem quando uma terrorista do Sri Lanka aproximou-se dele fingindo que queria colocar uma guirlanda de flores em seu pescoço (como é tradição na Índia) e o matou acionando uma bomba a queima-roupa. Sua sogra Indira Gandhi como todos sabem, também já havia sido assassinada covardemente a queima-roupa por seu guarda-costas sikh.

Sônia então ficou completamente só e teve que cuidar dos 2 filhos pequenos em um país ainda pouco desenvolvido e muito violento; sentindo falta de sua cultura, língua nativa, comidas e costumes, assim como eu.

Para poder ser respeitada, Sônia teve que se adaptar aos modos e costumes indianos muito mais rapidamente do que ela poderia imaginar. Começou a usar sari e aprendeu a falar Hindi. Como viúva, apesar de jovem, teve que parar de usar a cor vermelha, jóias e maquilagem.

Com o trauma da súbita perda do marido e com 2 crianças para criar, políticos começaram a pressioná-la a entrar na política. Ela recusou por vários anos, mas acabou cedendo.

Sendo a atual presidente do partido Congressista e seu partido tendo vencido as eleições, Sônia poderia ser agora, nesse exato momento, a Primeira Ministra da Índia (cargo mais alto do país), mas não aceitou e sabiamente indicou Mamohan Singh para o cargo. Seu ego não lhe subiu a cabeça e o bom senso prevaleceu.

Sônia não está atrás de popularidade, prestígio ou poder. Ela dedica-se a ajudar como pode a Índia, e tem feito até agora um excelente trabalho.

Sônia deixou sua cidadania italiana e naturalizou-se indiana. Sônia ama e respeita a Índia de modo que muitos indianos ainda não o fazem. Ela é um GRANDE exemplo a todas as mulheres daqui. Uma pessoa séria, madura, sensata como há poucas no mundo atualmente.

Novamente, Sônia acaba de mostrar sua lucidez e bom senso ao recusar ir para uma visita oficial aos Estados Unidos, no momento em que o PM estará lá.

Como seria bom se todos os políticos fossem como ela. A Índia com certeza seria outro país!!!

Om Shanti