7 de março de 2006

FIRE


07/03/2006

Nâmaskar

Hoje vou contar o enredo do excelente filme FIRE, escrito, produzido e dirigido pela fantástica cineasta indiana Deepa Mehta. Esse filme é de 1996 e as atrizes principais são Nandita Das e Shabana Azni.

O filme chama-se FIRE, traduzindo - Fogo. E faz parte da série Fire, Earth, Water (Fogo, Terra, Água).

O filme começa com a cena do casal Sita e Jatin, recém casados, passando sua lua-de-mel em Agra e visitando o Taj Mahal. A moça recém casada (Sita) vai morar com a família do marido numa comum e tradicional “joint family”, ou seja, todos os parentes morando juntos sob o mesmo teto.

A família tem um pequeno restaurante juntamente com uma videolocadora e todos da família trabalham no negócio. Jatin casou-se forçosamente mas continua apaixonado pela namorada chinesa e vai à casa dela todas as noites deixando a esposa sozinha e ainda virgem!

Seu irmão mais velho, Ashok é MUITO devoto de um swami e passa as noites em oração, meditação, kirtan etc. Junto aos pés do swami. Como a esposa não pode ter filhos, Ashok decidiu fazer voto de castidade e a 13 anos não transa com a esposa (Radha).

O empregado masturba-se em frente da velha (mãe de Ashok e Jatin) enquanto assisti filmes pornô.

As mulheres sozinhas e MUITO mal amadas por seus respectivos maridos, acabam se apaixonando e tendo relações sexuais, mas o empregado masturbador as denuncia.

O filme mostra ainda os seguintes aspectos culturais:
- O uso abundante de talco no corpo para secar o suor.
- A esposa do filho mais velho (nora) é quem tem que cuidar da mãe do marido (sogra).
- Cama com mosquiteiro, ainda muito usada hoje em dia, devido a quantidade de mosquitos mesmo nas cidades.
- O hábito das mulheres indianas de passar óleo de coco no cabelo.
- Entrega de leite de porta em porta feita de bicicleta onde vão penduradas as leiteiras de alumínio e o leite é vendido a granel.
- Os famosos taxis pretos com teto amarelo.
- Homens urinando em público e nos monumentos históricos.
- Massagem nos pés como devoção e carinho.
- Anel de dedo do pé, no dedo próximo ao dedão, que significa que a mulher é casada.
- Brincos indianos tradicionais em formato de guarda-chuva aberto.
- Teatro representando a estória do épico Ramayana.
- Saris pendurados na casa para secar e dobrando o sari para por no varal.

Naturalmente, ao mostrar fatos tabu como o homossexualismo feminino, Deepa Mehta colocou o dedo na ferida da hipócrita sociedade indiana que aceita somente o homossexualismo masculino; e por isso mesmo ela não é mais bem-vinda por aqui e mora no Canadá.

O filme é excelente. Guarde esse pequeno roteiro e leia antes de assistir. Este é um modo fácil de se conhecer melhor um pouco da cultura indiana e seus costumes e hábitos ainda tão atuais!!