29 de abril de 2006

Marcelo Panhoca - O Viajante




Nâmaskar

O relato abaixo é do querido Marcelo Panhoca (mais que um amigo, um verdadeiro irmão).

Em Cumbica, embarquei para o desconhecido............. iniciava ali minha viagem em direção a um sonho que tinha desde os tempos de adolescência. Iria conhecer a Índia e o Nepal.

Estava tão ansioso que até a gastrite me atacou. Gastrite que só piorou devido a muitos copos de “Kingfisher beer”, a muitos maços de “bidis” e a grande quantidade de “samosas” que comi no decorrer dos meus 44 dias de Índia.

Quando cheguei ao aeroporto de Nova Delhi, tantas horas de vôo depois estava tão elétrico que me sentia uma criança........ fui amparado pelo carinho da Sandra e de seu esposo.

Já no primeiro dia fui visitar um templo Sihk e outro hindu na companhia da Sandra e do marido.................não conseguia dormir....................estava agitadíssimo e feliz.

No decorrer da viagem visitei além de Delhi, Varanasi, Sarnath, Khajuharo, Orcha, Gwalior, Agra, Fathepur Sikri, Jodhpur, Jaisalmer, Udaipur, Ranakphur, Jaipur e Mumbai.

Vivi experiências tão especiais que ainda hoje, entre um sonho e outro, me pego recordando.
Posso afirmar que os acontecimentos que mais me marcaram em minha estada na terra de Gandhi foram:


Os amigos que conheci, os lugares que visitei, meus três dias de dromedário no deserto de Thar, o “tali sistem”, as fortalezas de Meherangar (em Jodhpur) e de Jaisalmer, o Pichola lake em (Udaipur), O Taj, é claro e muito mais.............

Nesta mesma viagem, que no total durou seis inesquecíveis meses, estive em outros países, como Tailândia, Laos, Vietnã, Camboja entre outros. O único país que me proporcionou o mesmo impacto que a Índia foi o Nepal....... o impacto em questão diz respeito às diferenças culturais, às cores e sabores, a aparência e costume do povo, enfim ao astral.

Amei meus dias de Índia. Claro que passei por dificuldades. No começo da viagem falava mal e porcamente o inglês................. agora só falo mal..........he he he....... o que atrapalhou um pouco, mas as palavras foram fluindo, minha segurança foi crescendo e minha simpatia pelo país também.

Se me choquei com a pobreza de Mumbai, me encantei com a paz de Orcha e suas fortalezas. Se foi desesperador chegar a Varanasi às 03:00 a.m., foi aconchegante contemplar o pôr-do-sol no Lago Pichola..........

Vivi intensamente cada dia da viagem. Isso eu garanto!

Ao voltar ao Brasil dia 01.05.04 minha vida não seria mais a mesma...............

Namastê!