9 de outubro de 2006

Liliana - Turismo Espiritual (Depoimento)


Namastê

Hoje quero compartilhar com você o relato da Liliana. Ela descreveu muito bem como os turistas espirituais vêem a Incredible Índia

Segue abaixo o relato da Liliana:

Estou te escrevendo pra te dizer que adorei ter descoberto seu blog... li várias coisas lá, você é uma pessoa muito inteligente e realista, não cria fantasias nas suas descrições, informa e ponto.

Acredita que estive aí na Índia agora em agosto e te confesso que voltei completamente encantada, realmente não vi a Incredible Índia! que tanto fala, mas tudo que li até agora no seu blog sei que é verdade!!!

Fiquei 20 dias aí, cheguei no dia 3 de agosto e vim embora no dia 23... mas minha viagem foi com um fim específico, fui para ficar no ashram de Sai Baba e confesso que amei! Como resolvi ir muito de última hora, apenas uma semana antes de embarcar, confesso que não tinha muita informação sobre a Índia, apenas o básico, de não comer em qualquer lugar, beber água mineral, que os indianos são difíceis com relação à dinheiro, que não deveria me vestir como me visto aqui no Brasil, blusinhas justas, com decote, etc... Mas a muitos anos tinha essa vontade de conhecer a Índia, sempre me interessei pela cultura, não sei bem porque! Adoro as bijuterias, roupas, etc... leio muito sobre a país, muitos da minha família já foram, então tenho algumas informações sobre a Índia.

Sai de Londres chegando em Bangalore, na chegada no aeroporto estranhei só os taxistas e um montão de homens falando um inglês que não entendia direito e cobrando absurdo para nos levar a Puttaparthy, acredita que pagamos 1.800,00 Rúpias até lá e na volta pagamos apenas 800,00! Claro que a viagem até Puttaparthy foi uma aventura para mim, o trânsito é realmente muito caótico e os motoristas dirigem como loucos, a buzina incomoda muito, achei que íamos bater várias vezes. Mas até que me surpreendi, pois achei que só iria ver vários carros muito antigos (minha mãe tinha me falado isso.) e quase todos os carros de passeio e taxi que vi em Bangalore e lá em Puttapathy eram bem novos, em ótimo estado. Acho que isso reflete um pouco esse novo momento que a Índia vem passando. A minha tia que foi comigo também ficou muito impressionada com as mudanças, ela esteve aí a três anos atrás, e ficou impressionada como melhorou a estrada, o aeroporto...

Em Puttaparthy adorei tudo de verdade! Achei o lugar lindo, muito limpo e organizado. Fui nos hospitais de Sai Baba e fiquei realmente impressionada com a limpeza e organização. As escolas também. Dentro do ashram é tudo muito limpo e organizado também, a comida muito gostosa. Mas lendo seus textos e também lembrando de tudo que vivi aí não posso discordar de tudo que vc nos informa, pois realmente a Índia é uma realidade muito distante da nossa aqui no Brasil. Só ai pude entender verdadeiramente os ensinamentos de Sai Baba!

O povo indiano é realmente muito simples, em todos os sentidos. O que me incomodava às vezes, era quando saímos fora do ashram e aquele montão de crianças e mendigos me chamando de "mam" e pedindo esmola, isso realmente é muito chato, pois são várias pessoas pedindo. Claro que aqui em Belo Horizonte tem muita gente pedindo esmola tb, mas é de uma forma diferente. E como eu nunca dava dinheiro, pois uns dos princípios de Baba é praticar a caridade, mas não alimentar a mendicância, então não dou dinheiro nem aqui no Brasil, sempre dava biscoito, leite e alguns nem aceitavam!

Outra coisa chata é como os comerciante se comportam, enfiam a gente dentro da loja, e fazem de tudo pra gente comprar, isso também me dava um pouco de preguiça, mas de um modo geral me diverti muito, depois de alguns dias, todos na rua já me conheciam, me davam “oi”, sabiam meu nome, os homens jovens solteiros então, eram os mais engraçados, todos cheios de graça quando sabem que somos brasileiras. São muito educados, tratam a gente super bem, fazem tudo pra gente, aqui no Brasil os homens não são tão prestativos assim com a gente não...

As indianas também são muito amáveis, sempre sorrindo, oferecendo flores... mas dentro do ashram algumas eram um pouco rudes e implicantes... com a roupa da gente, falavam que estava transparente, que eu tinha que prender o cabelo, etc, mas eu me divertia até quando elas estavam chamando minha atenção, achava muito engraçado elas falarem às vezes que minha roupa estava transparente, eu falava que para mim elas estavam peladas, com a barriga toda de fora, enquanto eu, estava tampada do pescoço até os pés, pois só usei kurta. Ah, algumas indianas são bem folgadas, se a gente não ficar esperta sentam no nosso colo, na fila do mercado entram na nossa frente na maior cara de pau, mexem nas compras que estão na sexta, muito engraçado.

Outra coisa que observei lá e que vc fala muito, é que às vezes nós ocidentais que vamos até aí ver Sai Baba somos "mais espiritualizados" do que os próprios indianos que estão no ashram, acho que nós ocidentais temos mais acesso aos ensinamentos de Baba do que os próprios indianos, pois muitos se comportam (dentro do ashram claro!) de forma completamente contrária aos seus ensinamentos!! Também entendi porque outro dos 10 princípios Dele é com respeito a manter a nós e nossos lares limpos, pois percebi que muitas mulheres tinham um cheiro bem forte. Claro que reparei nos pés também, é que como não gosto muito de pés, passei a gostar muito menos depois que vi os pés das indianas! Elas praticamente não usam calçados.
Mas mesmo observando todas as diferenças, que realmente são enormes eu amei a Índia, foram dias incríveis e inesquecíveis, me sentir super bem aí, quando vim embora chorei muito no aeroporto, me deu uma dor no coração!

Quero muito voltar pra ficar mais tempo, e viajar pela Índia, conhecer vários lugares, agora aprendi, a próxima vez que eu voltar aí, vou fazer turismo antes de ir ver Sai Baba, pois sei que se eu for para lá direto não vou querer sair de lá!

Quando eu voltar quero ver arquitetura, templos, palácios, rituais, quero ver a Índia encantadora, colorida, quero ser turista mesmo, a parte realista prefiro conhecer no seu blog!!! rsrsrs

Outra coisa que não tem como não perceber na Índia é a super população, talvez por isso os problemas sociais aí são tão visíveis, é gente demais, parece um formigueiro, até na estrada, onde não tem nada, tem gente andando!

Acho que só estranhei a forma como homem e mulher convivem aí, pois realmente é muito diferente, os casais não se tocam, ficam distantes!!

Querida é isso, viu!!!

Liliana