30 de setembro de 2006

Ioga – Parte 6 - Laghu Sankha Praksalana


Nâmaskar

Todos os sábados estarei postando sobre ioga.

ATENÇÃO: Não copie estas postagens sem autorização pois tem copyright (direitos autorais).

Continuação...

IOGA não é só Asana e Pranayama. Se você aprendeu somente asanas e pranayamas saiba que você não aprendeu a verdadeira ioga indiana, mas sim uma adaptação para ocidentais.

Laghu Sankha Praksalana

Esta atividade é especificamente benéfica a pacientes com constipação crônica, obesidade e diabete.
Neste caso também água quente é consumida e asanas são praticados. Durante este caso, somente 7-8 copos de água devem ser tomados e nada mais. Isto facilita a passagem de fezes 3 – 4 vezes e o estômago ficará limpo. Depois disso, se quiser, pode fazer também Vaman Dhouti.

Note: os benefícios são como mencionados acima. Nenhuma dieta especial deve ser seguida. Depois da atividade, coma kichari com uma pequena quantidade de ghee. A noite, chapati e vegetais podem ser ingeridos. No dia desta atividade, é melhor não consumir leite, leite com manteiga.

Ganesa kriya (Purificação básica)

Molhe o dedo indicador esquerdo em óleo de rícino. Enfie cerca de 3 cm no reto e gire para todos os lados para excreção de fezes. Lave as mãos e faça novamente do mesmo modo. Assim, remova toda a quantidade de fezes do reto. Este processo deve ser feito após defecar. Os dedos não devem ter unhas longas. Corte as unhas e lixe muito bem.

Benefícios: Esta ação fortalece os músculos internos e externos do reto, que previne constipação, etc. O restante das fezes no reto após defecação, podem ser facilmente removidas com esta ação, assim não se sofre de hemorróidas etc.
Esta atividade é extremamente benéfica para pacientes sofrendo de hemorróidas. Eles devem fazer este exercício todos os dias.

3. Basti

Sugar água ou ar pelo reto e purificar o intestino grosso chama-se Basti. É de dois tipos – jal Basti e Pavan Basti. Para aprender este processo, é preciso obter experiência em nouli madhyama, uddiyana bandha, e vama-Daksina nouli.

(a) Jal-Basti

Método:
■ Fique em pé em água limpa, que está no nível do umbigo, e então faça esta atividade. Esta ação também pode ser feita enchendo uma grande banheira com água e sentando-se em Utkatasana.
■ Sente-se em Utkatasana e pegue um tubo de madeira com furo de 18-21 cm de comprimento e 1.5 cm de largura.
Ambas as extremidades da vareta devem ser lisa e besuntadas com algum líquido lubrificante, e inserida no ânus. A outra ponta da vareta deve permanecer submersa na água.
■ Expire e faça madhyama nouli enquanto faz uddiyana bandha e mula bandha.
Assim a água será sugada até você não respirar mais.
■ Antes de inspirar, feche a outra ponta da vareta com o dedo. Novamente expire e sugue a água como antes. Repita isto 5-6 vezes para encher o intestino grosso com água suficiente.
■ Agora remova a vareta, fique em pé faça nouli. Com isto a água esparramará no intestino e o limpará.
■ Quando nouli é virada para o lado direito haverá uma vontade de defecar, e então defeque.
■ Este processo pode ser feito sem a vareta ao ficar em pé na água como mencionado antes e fazendo uddiyana bandha e mula bandha e sugando a água para cima.
Quando isto é feio corretamente a abertura do anus torna-se mais larga automaticamente e a água é sugada para dentro. Acrescente um pouco de suco de limão na água. Este processo deve ser feito pela manhã, após a defecação.

Benefícios:
■ Basti purifica o intestino grosso, o que cura a constipação, etc. O calor do estômago é removido, o que cura doenças relacionadas ao sêmen como emissão noturna, etc. Esta ação é mais benéfica que enema. No enema, a água é passada pra dentro com pressão, neste caso, o intestino grosso continua inativo. Isto resulta na expansão e acordar do intestino grosso. Entretanto, no Basti, o intestino suga água por sua própria força, o que permite o fortalecimento do intestino ao invés de acorda-lo.

(b) Pavan-Basti
Método:
Agache-se, e como mencionado acima, expire e faça uddiyana bandha, madhyama nouli e mula bandha, o ar será sugado para dentro. Deste modo, sugando a para dentro e então jogando pra fora chama-se Pavan Basti.

Benefícios:
■ Mesmos como mencionado acima. Mas no caso anterior, isto é, Jal Basti, fezes saem, enquanto neste caso somente ar poluído sai. Assim sendo, este processo é benéfico para problemas relacionados a gás e hemorróidas. Também aumenta o poder de digestão.

Incredible India!

OM Shanti

29 de setembro de 2006

Rang De Basanti


Nâmaskar

Sou admiradora do trabalho do ator indiano Amir Khan e meus filmes favoritos são MANGAL PANDEY e 1947 EARTH.

Um de seus filmes, LAGAAN já havia participado do Oscar na categoria de melhor filme estrangeiro, mas não venceu.
É um filme interessante, porém como não gosto de cricket achei o filme razoável, mas sei bem que para quem aprecia este esporte o filme com certeza é visto como bom.

Agora outro filme de Amir Khan foi escolhido para representar a Índia no Oscar; RANG DE BASANTI vai disputar a categoria de melhor filme estrangeiro juntamente com WATER da produtora e diretora indiana Deepa Mehta que concorrerá pelo Canadá. (Leia as postagens ‘WATER’ de 20 de setembro de 2005 e 04 de abril de 2006 neste blog).

Eu assisti aos dois filmes e ambos são bons.

Em minha opinião o filme Water não foi contundente e poderia ter explorado mais a questão das mulheres viúvas na Índia, mas com tantos ameaços de morte é óbvio que Deepa Mehta teve que atenuar o tom do filme.

Rang De Basanti começa bem, desenvolve bem mas o final não é bom e não agrada. O filme é de caráter nacionalista e voltado aos jovens indianos, não sei se irá convencer os americanos.

Resumindo, se fossem somente esses 2 filmes a concorrer eu daria o Oscar ao WATER.

***

Uma vez que o assunto de hoje é filme, e que você já sabe que os indianos copiam filmes e músicas ocidentais (inclusive lambada), se puder não deixe de assistir ao E.T. indiano!!!

Isso mesmo, o filme KOI...MIL GAYA é uma cópia descarada do famoso filme E.T., mas mesmo assim não deixa de ser uma gracinha. O ETzinho indiano é azul, vale a pena assistir se você tem um coração de criança. :)

***

Alerta para quem estiver vindo para Delhi agora:
Os casos de dengue tem aumentado e ontem faleceu uma mocinha de 17 anos, filha de 2 médicos (mãe pediatra e pai anestesiologista), num dos mais famosos hospitais da capital.

A morte da moça, que morava em bairro nobre da zona sul (Vasant Vihar) serviu para alertar as autoridades que o problema da dengue não se restringe somente aos bairros pobres e favelas e que o mosquito já está atacando também nos bairros dos diplomatas e políticos. Assim sendo, finalmente a prefeitura de Delhi vai mandar passar o carro e fumaça (fumacê) pelas ruas e principais locais de procriação de mosquito.
Você está avisado e já sabe o ditado “repelente pouco é bobagem”, tem mesmo é que se besuntar toda em repelente!!!!

Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti

27 de setembro de 2006

Mala


Nâmaskar

Atendendo ao pedido de uma pessoa muito querida e especial, hoje estou postando informações gerais sobre Mala.

Mala significa ‘guirlanda’ em sânscrito e deu origem ao rosário cristão, ao Îphreng ba budista e ao terço católico.

A mala é um objeto importantíssimo e antiquíssimo na história da ritualística religiosa indiana. Seu adepto mais notável é o Deus Shiva.

Utilizada inicialmente no hinduismo, uma das mais antigas religiões do mundo, com cerca de 5 mil anos, a mala foi prontamente absorvida pelo budismo e posteriormente pelo cristianismo.

A mala é formada por uma sucessão de contas (‘bolinhas’) traspassadas por um fio e amarradas de forma circular; como o próprio nome em sânscrito sugere, no formato de uma guirlanda hindu.

A mala é utilizada para calcular o número de mantras recitados. No caso do terço cristão, é utilizada para calcular o número de orações feitas.

As malas podem ser feitas de diversos materiais como por exemplo, sândalo (utilizado pelos devotos de Krishna), conchas (búzios), tulsi (sementes de manjericão), sementes de lótus e Rudraksha (utilizadas pelos devotos de Shiva, Durga e Ganesha).

Em geral os praticantes de ioga utilizam malas de Rudraksha, a menos que por motivos pessoais cultuem outro deus hindu ou possuam outra filosofia de vida. O 'pai' da ioga é Shiva, e Shiva está intimamente associado a Rudraksha. Ele utiliza diversas malas de Rudraksha em seu pescoço, e os praticantes de ioga e homens santos seguem seu exemplo.

Os sadhus devotos de Shiva também usam malas de Rudraksha penduradas no pescoço.

As malas de sementes são indicadas para práticas de deidades; essas malas são utilizadas também pelos lamas tibetanos e budistas em geral.

No hinduísmo as malas possuem 108 contas, mas podem ser também de 54 ou 27 contas, pois estes são o número de vezes que o praticante deve repetir um mantra.

Mantra são palavras sagradas entoadas em voz alta repetidas vezes.

As malas sempre possuem uma conta extra, chamada Meru, para que se tenha certeza quanto ao ciclo exato de repetições do mantra.

Quando se entoa um mantra (japa) com o auxílio de uma mala para contar corretamente o número de repetições, chamamos a esse conjunto de japa mala.

Que fique bem claro que mala é tão somente o rosário de contas em si, e que as palavras entoadas são as japas. Já vi muitos ocidentais referirem-se a mala como ‘japa mala’. Japa mala é o ato de entoar mantras ou palavras sagradas por X número de vezes, utilizando-se uma mala para não se perder na contagem.

Antes de manusear uma mala a pessoa deve primeiramente lavar as mãos com água e sabonete.
As malas devem ser manipuladas somente com a mão direita.

Usar uma mala de Rudraksha no pescoço limpa a aura da pessoa tornando-a mais receptiva à práticas espirituais como a oração e a meditação.

As malas de Rudraksha são as preferidas e as mais tradicionais aqui na Índia, devido a seu poder de cura entre outros.

OM Shanti


.

26 de setembro de 2006

Cuidado com empregados indianos


Nâmaskar = Namastê

O que está nos noticiários e nas manchetes dos jornais é o brutal assassinato de uma funcionária da embaixada da Bélgica.

Isabelle Dessoy de 47 anos foi esfaqueada 22 vezes por seu motorista particular. O motivo da brutalidade foi porque ela o admoestou quanto ao seu modo violento e abrupto de dirigir diversas vezes e finalmente o demitiu.

Se você é estrangeiro morando na Índia, tenha MUITO cuidado ao contratar qualquer empregado.

A polícia sugere que se tire uma fotografia da pessoa contratada, pegue seu nome completo e endereço e leve a um posto policial para averiguação ANTES de contrata-la. Se você além de estrangeiro for idoso e/ou morar sozinho, o cuidado com mão-de-obra indiana deve ser redobrado!!! Ultimamente tem havido uma onde de assassinato de pessoas idosas por seus empregados dentro de suas próprias casas.
***

Encontrada uma cobra de 3.5 metros em Haus Khaz, bairro da zonal sul de Nova Delhi.
***

Ai, achei uma notícia boa!
O governo de Jammu e Kashmir decidiu montar dois bancos cooperativos só para mulheres : )

A intenção é que as mulheres do local possam se auto-sustentar via cooperativas de artesas. Nesta região as mulheres trabalham em teares tecendo os famosos e caros xales de caxemira, pashimina e produtos de lã.
***
Incredible India! (slogan oficial do governo indiano)

OM Shanti

24 de setembro de 2006

Beatles de Bollywood

17 de setembro de 2006

Incredible India - Uma Grande Mentira

Incredible India - One Big Incredible Lie

Este filminho mostra a verdadeira India.

O autor do filme fez como uma provocação a propaganda do governo indiano que tem por slogan INCREDIBLE INDIA!

O filme mostra fotos da realidade indiana em seu cotidiano. Coisas feias e tristes que o governo tenta esconder.

Já estou cansada de ver o governo e os próprios indianos tampando o sol com a peneira.

16 de setembro de 2006

Ioga - Parte 5 - Sankha Dhouti



Nâmaskar

Todos os sábados estarei postando sobre ioga.

ATENÇÃO: Não copie estas postagens sem autorização pois tem copyright (direitos autorais).

Continuação...

IOGA não é só Asana e Pranayama. Se você aprendeu somente asanas e pranayamas saiba que você não aprendeu a verdadeira ioga indiana, mas sim uma adaptação para ocidentais.

Medidas Rejuvenescedoras – Sankha Dhouti or Shankha Prakalan

O formato de nosso intestino é como e uma concha. A purificação do intestino em forma de concha chama-se sankha purificação ou varisar ação. Esta atividade foi experimentada em diversos pacientes foi descoberto que realmente rejuvenesce a pessoa. Este processo é capaz de curar doenças muito sérias e crônicas. Não há quase nenhuma doença incluindo problemas estomacais, obesidade, hemorróidas, hipertensão, diabetes e doenças relacionadas a elementos de tecidos, que não possa se beneficiar por esta atividade. Descobrimos em campanhas de ioga que metade dos benefícios são atingidos devido a asanas de ioga e atividades e a outra metade são atingidos graças a este processo. Nós lavamos roupas todos os dias. Se não lavarmos a roupa por um dia elas ficam sujas. Nosso abdome possui cerca de 12 metros de comprimento de intestino, que nunca estão limpos nenhuma vez durante nossa vida. Como resultado, uma camada de matéria tóxica e contaminada acumula-se nas paredes internas. Devido a formação dessa camada, absorção e secreção de sucos não ocorre devidamente, resultando em dispepsia, indigestão, acidez, etc. Putrificação desta matéria causa fedor no estômago. Causa problemas gástricos. Os sucos não são produzidos apropriadamente.
Quando o principal instrumento é deformado, os órgãos subsidiários como estômago, pâncreas, etc. também são afetados e causam diversos tipos de doenças.

Nosso corpo é um instrumento. Uma grande maravilha de muitas maravilhas no mundo, é uma grande surpresa quem criou este instrumento único? Assim como levamos um instrumento musical para manutenção e afinação, carros, relógios e outras máquinas, que lhes permitem funcionar apropriadamente, do mesmo modo, devemos fazer a manutenção de nosso corpo, para que continue saudável, vivendo por muito tempo e forte.

Itens necessários para este processo:

Uma caneca (para beber água), água morna que contenha quantidades apropriadas de suco de limão e sal de rocha, khichdi semi sólido feito de arroz e lentilha moong, 100 gr de ghee por cabeça feito de leite de vaca. Caso não tenha ghee feito de leite de vaca, então use ghee feito de leite de búfalo. Um tapete ou coberta para fazer o asana, um leve lençol para cobrir, e um banheiro por perto são necessários.

Preparação Prévia: A prática de asanas deve começar pelo menos uma semana antes do dia em que esta atividade será realizada. Na noite anterior da realização desta atividade, devem ser comidas refeições fáceis de serem digeridas por volta das 20 horas. Ao entardecer,

Beba leite misturado com 50-100 gr de uva passa pois isto facilita o processo de purificação. Vá para cama antes das 22 horas. No dia seguinte, se possível, livre-se das tarefas matutinas, como escovar os dentes, evacuação, tomar banho etc. Tanto faz se você evacuou ou não.

Três tipos de água:

(a) Água contendo suco de limão e sal de rocha: Acrescente quantidades apropriadas de suco de limão e sal de rocha à água. Todas as pessoas saudáveis, excetuando pacientes de pressão sangüínea alta, problemas kaphaja e vatika, tem que beber esta água.

(b) Para os pacientes de kaphaja e vatika: Pacientes sofrendo de dores físicas como dores nas juntas, gota, inchaço, espondilose cervical, disco fora do lugar, etc e problemas kaphaja devem beber somente água morna com sal de rocha.

(c) Para pacientes com hipertensão e doenças de pele: As pessoas que sofre de hipertensão ou qualquer doença de pele devem beber água quente contendo só suco de limão antes de realizar a atividade.

Método:

■ Sente-se em Utkatasana (no seu pé) e beba rapidamente, sem se preocupar com o sabor, um ou dois copos de água preparada, segundo as instruções. Então faça duas repetições dos cinco asanas prescritos para esta atividade e então beba água o tanto quanto desejar. Após beber água, repita os exercícios na mesma ordem. Deste modo, repetindo os exercícios e bebendo água resultará em evacuação. Não tente forçar a evacuação no banheiro. Evacue na quantidade que vier. Enquanto está sentado no banheiro, faça ashvini mudra (contraindo e expandindo o ânus), isto limpará o estômago e hemorróidas e outras doenças também serão curadas. Após sair do banheiro, beba água novamente e faça os exercícios. Deste modo continue bebendo água e fazendo os exercícios e evacuando. Depois de ter ido ao banheiro 8-10 vezes, você verá que água amarela para de fluir. A água, que você tem bebido, a mesma água está saindo pelo ânus. Então beba 4-5 copos de água ou quanto quiser e faça Vaman Dhouti. Após fazer Vaman Dhouti deite-se em Savasana por 30-40 minutos e descanse. Cubra o corpo com um lençol leve, prevenindo exposição excessiva ao vento. Depois de 30-40 minutos de descanso, coma o pré preparado khicari feito de lentilhas em quantidade igual de arroz e lentilha Moong (lentilhas partidas ao meio ainda com casca) e contendo uma quantidade pré aquecida de ghee, conforme o gosto. Recomenda-se consumir pelo menos 50 gr de ghee, enquanto uma pessoal saudável pode consumir o tanto quanto quiser. Esta atividade purifica todo o corpo. Após a purificação, o corpo deve ser lubrificado do mesmo modo que se lubrifica os veículos após lavagem e limpeza. Depois desta ação, o ghee que é consumido, realiza a ação de lubrificação em todas as glândulas e elas tornam-se macias. Devido a lubrificação, a matéria excretada, etc não gruda nelas. Portanto o ghee consumido não faz mal a pessoa sofrendo de nenhuma doença. Depois de come khichari, se possível, faça yoga nidra. Yoga nidra é similar a Savasana. Dhyan tem uma importância especial neste processo. Agora iremos descrever os cinco asanas necessários para Sankhya Prakshalan.


(a) Urdhawa Tadasana

Método:

■ Fique em pé e entrelace os dedos das mãos e mantenha-os na cabeça. Mantenha as pernas fechadas.

■ Inspire e estique as mãos para cima e simultaneamente levante os calcanhares. Enquanto expira, desça. Mantenha as mãos na cabeça. Repita 5 vezes.

(b) Tiryak Tadasana

Método:

■ Fique na posição mencionada acima, levante as mãos, entrelace os dedos e estique-os reto para cima. As palmas devem ficar viradas para o céu e os pés devem ficar afastados cerca de 35 cm.

■ Ao inspirar, dobre-se para a direita o máximo possível, sem dobrar-se para trás ou para frente, e os braços não devem ficar encostados nos cotovelos. Ao expirar, leve as mãos acima da cabeça. Do mesmo modo faça do lado esquerdo. Faça isso cinco vezes de cada lado.

(c) Katichakrasana

Método:

■ Mantenha as pernas afastadas a cerca de 35 cm, fique em pé ereto. Ponha as mãos nos ombros. Mantendo as palmas retas viradas para baixo.

■ Vire a mão direita pela frente e ponha-a no ombro esquerdo. Dobre a mão esquerda por trás e ponha-a na cintura. A palma da mão, que está na cintura, deve estar virada pra cima.

■ Agora enquanto gira o pescoço para a esquerda, olhe por trás para o tornozelo direito. Se você não puder vê-lo, então continue tentando. Depois de fazer de um lado, repita do outro lado.
Similarmente, realize isso 5 vezes de cada lado.

Segundo Método:

■ fique em pé e traga as mãos para frente do peito. Enquanto inspira, vire as mãos para o lado direito o máximo possível. A distância entre as mãos deve ser igual a largura do peito e a visão fixa entre as mãos. Ao expirar, volte a posição do meio. Do mesmo modo, faça do outro lado.

(d) Tiryak Bhujanasana

Método:

■ Deite-se no seu estômago e ponha as mãos ao lado do peito e próximo aos ombros. Os cotovelos devem tocar os lados e estarem levantados.
■ Enquanto mantém uma distância de 35 cm entre as pernas, mantenha os dedões alongados para trás.

■ Ao inspirar, levante o peito. Quando a porção acima do umbigo estiver elevada, olhe para o calcanhar esquerdo por cima do ombro direito. Enquanto expira, desça. Repita do lado esquerdo.

(e) Udara-karsana ou
Sankhasana

Método:

■ Agache-se e mantenha as mãos nos joelhos. Mantenha uma distância de 35-40 cm entre as pernas.
■ Enquanto inspira, repouse o joelho direito próximo ao dedão do pé esquerdo e vire o joelho esquerdo para a direita.
■ Vire o pescoço para a esquerda e olhe para trás. Fique nesta posição por algum tempo e volte a posição central. Repita isto do outro lado.

Benefícios:

■ Esta atividade cura todos os tipos de doenças, como já foi informado anteriormente.
■ O corpo torna-se limpo e puro e leve como uma flor, cheio de brilho.
■ Todas as doenças como constipação, dispepsia, gás, acidez, arroto azedo e hemorróidas, etc. são curados definitivamente.
■ É extremamente benéfico a obesidade, diabete, doenças respiratórias, doenças do coração, apendicite, dor e cabeça e todas as doenças relacionadas a boca, garganta, língua e olhos.
■ Cura desordens menstruais. Dores nas juntas, artrite, etc doenças relacionadas vata, embranquecimento do cabelo, rugas no rosto e marcas escuras de pigmentação, etc são todas curadas.
■ É extremamente benéfico para todas as doenças relacionadas ao intestino, rins, pâncreas e baço. Resumindo, os benefícios desta atividade são ilimitados.

Precauções:

■ No começo, isto deve ser praticado sob a orientação de um instrutor. Fazer este asana pode ser cansativo e doloroso.

■ Usa-se água morna e sal para realizar esta atividade. Realizar este asana causa sede e aquecimento interno. Nesta condição, consumo de água fria é prejudicial, pois causa canseira e fraqueza no corpo. O praticante sente-se inconfortável.
Portanto é necessário que no começo, a temperatura da água deve ser só morna e a quantidade de sal deve ser excessiva. Este problema é resolvido pela diminuição sucessiva na quantidade de sal da próxima vez. Se beber água resultar m vômito, então beba menos água e não faça Tiryak Bhujangasana.

■ Inicialmente, você passará fezes seguida por água amarela, e depois da água amarela, passará água normal. Depois disso novamente água amarelada sairá. Neste ponto, a atividade deve parar.

■ Depois de comer khichari, não beba água por 3 horas. Mesmo após 3 horas se você quiser beber água, beba pouca quantidade de água morna. Não se deve beber água fria neste dia. Porque beber água fria pode causar problemas na garganta, assim como catarro e resfriado, etc.

■ Descanse o dia todo, não ande ao ar livre. Depois da atividade, descanse mas não durma.

■ Não tome banho após a atividade. Se for verão então pode tomar banho de água quente ao por do sol.

■ Após a atividade, não sente-se em baixo do ventilador e no inverno, sentar-se ao sol é proibido.

■ Não lave as mãos e pés em água fria por todo o dia. Isto pode causar inchaço. Em dia nublado ou se estiver chovendo, esta atividade não deve ser feita.

■ Crianças, mães de recém nascidos, e pessoas muito fracas não devem faze-la.

■ Após três dias de ter realizado esta atividade, leite e derivados como doces, leite com manteiga, coalhada, etc. (excetuando ghee) não devem ser consumidos.

■ O khichari deve ser feito semi-sólido ao acrescentar arroz e lentilhas na mesma quantidade.
Ao cozinhar, somente sal de rocha e açafrão da terra em pó deve ser acrescentado. Não use mais nada. No dia que esta atividade for feita, somente khichari e ghee podem ser consumidos, não coma mais nada. Mesmo depois desta atividade, os que são obesos sofrendo de doença crônica do abdome, e diabete, devem consumir somente kichari, pelos próximos três dias. Não ponha ghee no khichari na mesma

Quantidade como antes. Normalmente, no segundo dia, uma pequena quantidade de vegetais verdes pode ser ingerida. Significa que somente alimentos de fácil digestão podem ser consumidos em pequena quantidades. Após três dias, comece gradualmente a comer refeições normais.

Hora da prática:

Diabéticos devem fazer esta atividade a cada 40 dias. Pacientes com hemorróidas, constipação crônica e psoríase também devem fazer isso a cada 40 dias. Uma pessoa saudável deve fazer uma vez a cada seis meses ou uma vez por ano para o corpo não pegar nenhuma doença.

Incredible India! (slogan oficial do governo indiano)

OM Shanti

15 de setembro de 2006

Aliança com Índia Prejudica Brasil


Namastê = Nâmaskar

O artigo abaixo NÃO foi escrito por mim. É de Daniel Gallas da BBC Brasil

Aliança com Índia Prejudica Brasil na ONU, dizem analistas

A aproximação entre Brasil e Índia dentro do Fórum de Diálogo do Ibas (que reúne os dois países e a África do Sul) prejudicou as intenções brasileiras de ingressar como membro permanente no Conselho de Segurança da ONU, segundo especialistas ouvidos pela BBC Brasil.
Ao formar uma aliança com a Índia na questão da ONU, o Brasil ganhou a oposição de Paquistão e China nas discussões de reforma do Conselho de Segurança.

"Sob o ponto de vista da reforma da ONU, que foi um dos motivos para a criação do Fórum, o Ibas fez pouco sentido, pois se transformou em um 'abraço de afogados'", avalia o professor Marco Aurélio Cepik, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, que estuda as relações de segurança entre os países do Ibas.

"Acabamos nos aliando com os inimigos dos nossos amigos, o que prejudicou a nossa relação com a China, com quem temos uma importante parceria estratégica no campo espacial."
Brasil e Índia também fazem parte do G4, grupo que pleiteia o ingresso dos dois países, além da Alemanha e do Japão, no Conselho.

Fórum do Ibas

Brasil, Índia e África do Sul formaram o Fórum de Diálogo Ibas em junho de 2003. O objetivo da união, segundo a Declaração de Brasília assinada naquele ano, é examinar temas da agenda internacional com uma visão de cooperação Sul-Sul (que defende a união de países em desenvolvimento em torno de interesses comuns).

Nesta quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva se encontra com os chefes dos governos sul-africano, Thabo Mbeki, e indiano, Manmohan Singh, no primeira reunião de cúpula do Fórum.

O bloco, segundo os especialistas, é mais importante como união política do que econômica.
“O Ibas e o G20 (grupo de países em desenvolvimento que negociam a questão agrícola na Organização Mundial do Comércio) são o auge do conceito de cooperação Sul-Sul”, afirma o professor do departamento de Ciência Política da USP Amâncio Jorge de Oliveira.
Segundo ele, apesar da aproximação recente entre Brasil e Índia através do Ibas, os dois países têm votado de forma oposta em diferentes foros multilaterais, sobretudo na Assembléia Geral da ONU.

“Ainda falta convergência entre Brasil e Índia em diversas questões, sobretudo sobre segurança. Já entre África do Sul e Brasil, há grande afinidade nas votações em foros”, afirma Oliveira.
De acordo com Cepik, da UFRGS, isso acontece porque Brasil e África do Sul são potências médias, enquanto a Índia dialoga “um nível acima” com as grandes potências.

Efeito positivo

Apesar das diferenças, os especialistas afirmam que há efeitos positivos da aliança entre Brasil, Índia e África do Sul.

Segundo Cepik, a aproximação dos países tem efeitos positivos nas negociações comerciais.
“A defesa de interesses comuns entre países grandes, sobretudo em negociações comerciais, mostra que Brasil, Índia e África do Sul não são um bando qualquer de protecionistas. A união mostra que a posição comercial dos países é forte e legítima”, diz ele.

Na reunião desta quarta-feira, o Fórum do Ibas pretende inaugurar um grupo de trabalho para elaborar um acordo de livre comércio entre a Índia, o Mercosul e a União Aduaneira da África Austral (Sacu, na sigla em inglês). O Mercosul já tem acordos bilaterais assinados com a Índia e com a Sacu. A implementação ainda depende de aprovação nos congressos brasileiro e argentino.
“O Ibas é um caso em que a diplomacia tenta induzir uma relação comercial, e não o contrário. Isso pode produzir resultados bons na sociedade”, afirma Oliveira.


http://www.bbc.co.uk/portuguese/reporterbbc/story/2006/09/060912_ibas_dg.shtml

OM Shanti

14 de setembro de 2006

Futebol Brasileiro na India



Nâmaskar = Namastê

O presidente do Brasil Lula, assinou ontem diversos acordos comerciais com o PM da Índia, mas os acordos que mais chamaram a atenção do noticiário indiano foram os em relação a produção de etanol e o de cooperação em futebol.

As noticias aqui destacam somente as vantagens que a Índia vai ter do Brasil. Eu gostaria de saber quais as vantagens que o Brasil vai ter da Índia. Quem souber, por favor escreva para mim um comentário no blog.

Como você já sabe a Índia é um país extremamente fraco em esportes e seu futebol é medíocre. O clube de futebol de Kolkata, Mohun Bagan, contratou o excelente jogador brasileiro José Ramirez Barreto, mais conhecido somente como Barreto que já faz sucesso aqui há 6 anos.

Barreto ganhou o troféu de melhor jogador estrangeiro na Índia. Com certeza um prêmio bem merecido, com certeza ele é o melhor! Parabéns Barreto!!!

Outros clubes de futebol estão seguindo o exemplo do Mohun Bagan e contratando jogadores brasileiros e africanos. Infelizmente esses jogadores já não são tão novos e talentosos como o Barreto.

Agora com este acordo assinado entre Brasil e Índia, espera-se que jogadores mais novos e de boa qualidade venham enriquecer o futebol indiano. Os indianos estão radiantes com a notícia do acordo. Receber ajuda na área de futebol do único pais 5 vezes campeão mundial é uma verdadeira honra para os indianos.
***

Delhi está neste exato momento sofrendo de uma epidemia de Dengue. Se você estiver planejando vir para cá agora em setembro, traga muito repelente de mosquito para evitar que o mosquito da Dengue te pegue!!!
***

Tem tido diversos atentados a bomba aqui na Índia e ainda ontem descobriram mais duas bombas antes que elas explodissem. Eu não tenho postado sobre isso pois agora é a época em que os brasileiros e turistas começam a vir para a Índia e não queria preocupa-los, mas uma vez que a policia de Maharastra, cuja capital é Mumbai, declarou que o estado está virando um estado terrorista, achei por bem postar aqui no blog.
Se vier para Mumbai ou qualquer outra cidade do estado de Maharastra, por favor tenha cuidado em dobro e faça um seguro de viagem.

OM Shanti

13 de setembro de 2006

Compartilhando Experiências


Nâmaskar = Namastê

Com patrocínio do Restaurante Gopala Prasad o Grupo Natyalaya estará apresentando o espetáculo NATYA KALOTSAVAM no Espaço Cultural Santo Agostinho no próximo dia 14 de setembro, às 20hs30min. Neste espetáculo serão apresentados 3 dos 4 estilos de danças clássicas do sul da Índia: Mohiniyattam, Bharathanatyam e Kuchipudi.

NATYA KALOTSAVAM – Festival de Danças do Sul da Índia
Data: 14 de setembro de 2006
Horário: 20hs30min
Local: Espaço Cultural Santo Agostinho
Endereço: Rua Apeninos, 118 - São Paulo, SP
Telefone: (11) 32094858
Informações: Natyalaya Escola de Danças Clássicas Indianas
Telefone: (11) 8334 3388
Ingressos: R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia entrada)

***
Tenho tido a grata oportunidade de conhecer muitos brasileiros e alguns portugueses que vem para a Índia por diferentes motivos. Uns vem para estudar, outros trabalhar, alguns para pesquisar, muitos para "turistar’ :)
Em fim, tenho tido muita sorte em conhecer pessoas ótimas. Gente inteligente e acima de tudo, bons de coração.
Sempre lhes peço para que escrevam um relato para o blog sobre suas experiências indianas, mas alguns preferem não faze-lo.

É interessante observar que a adaptação a uma cultura diferente é algo não só pessoal mas também de gênero! Eu explico; nestes 6 anos de Índia fica claro para mim que as mulheres ocidentais sofrem MUITO mais que os homens para se adaptar. O mundo feminino é muito rico, cheio de detalhes, limpo e organizado. Os homens acabam até gostando e achando conveniente urinar em qualquer lugar quando tiver vontade. Arrotar em público acaba virando diversão, em fim, se adaptam mais facilmente, com certeza.

Outro fator que ajuda ou dificulta a adaptação relaciona-se com o fato de qual região a pessoa vive. Por exemplo: Uma pessoa do sul e sudeste do Brasil ou da costa de Portugal com certeza sofre muito mais para se adaptar aqui. Se a pessoa for gaúcha sofrerá em dobro, primeiro com o clima quente e segundo com o vegetarianismo de certas comunidades.
Sendo da região norte e nordeste do Brasil ou onde o clima é que, o fator climático não será problema, assim como a comida condimentada e apimentada.

Eu sou nascida e criada na cidade de São Paulo e adorava quando fazia 5ºC no inverno, portanto o clima quente e úmido são uma verdadeira tortura assim como o excesso de condimentos na comida e a ‘marvada’ da pimenta; que não só entra queimando como sai queimando também!!

Eu fico muito feliz em ter no blog convidados especiais, ou seja, as pessoas que escrevem contando suas experiências indiana. Não quero que você tenha somente a minha visão de Índia.
Como já disse antes, minha visão é a de uma indo-brasileira que mora há mais de 6 anos e que vivência a Índia nas suas entranhas e no seu dia-a-dia.
É bom que você veja como um turista vê a Índia, como uma moça que veio aqui trabalhar vê a Índia, como uma pessoa que veio aqui estudar vê a Índia, em fim, como pessoas que vem aqui por pouco tempo desenvolvendo atividades diversas vê a Índia.

Eu só lamento não ter ninguém que aqui esteja por 8 anos ou mais, como eu, para escrever para vocês. Por isso mesmo postei a matéria “10 Coisas que odeio sobre a Índia” no dia 05/09/2006.
Eu não comentei nada, mas confesso que quando o Arpi escreveu que mesmo após 30 anos de Índia, ainda se desespera com a falta de energia elétrica, me deu uma sensação ruim, um gosto amargo na boca!
Já sei que meu futuro será escuro, literalmente falando, pois os indianos não param de se reproduzir e a demanda por eletricidade aumenta a cada ano. Vou começa a fazer um grande estoque de velas...

Leia também os relatos das seguintes pessoas no blog Indi(a)gestão:

08/02/2006 – Relato da Roberta
16/02/2006 - Relato da Roberta – Continuação
24/02/2006 – Relato da Roberta – Continuação
10/03/2006 – Relato da Roberta – Continuação
31/03/2006 – Relato da Roberta – FIM
06/04/2006 – Renato na Índia
17/04/2006 - Desabafo
19/04/2006 – Silvia e Ana, uma visão jornalística da Índia
29/04/2006 – Marcelo Panhoca – O Viajante
04/05/2006 – Depoimento da Karen
15/06/2006 – O Verão Indiano e a Paulinha Portuguesa
21/08/2006 – Agnes – Relato – Parte I
22/08/2006 – Agnes – Relato – Parte II
05/09/2006 – 10 Coisas que odeio sobre a Índia
12/09/2006 – Stefânia Former – Depoimento

Om Shanti

12 de setembro de 2006

Stefânia Former - Depoimento



Nâmaskar = Namastê

Continuando a tradição de postar a opinião e relatos de outras pessoas sobre a Índia, hoje temos a experiência indiana vivida na pele pela querida Stefânia Former.

AIDNI

A tarefa mais difícil dos últimos seis meses e meio é simplificar a experiência que vivi na Índia. Não consigo ainda entender o que aconteceu, o porquê e como. Sobrevivi a cada chapati, paneer, dosa, lassi e pani puri e me apaixonei pelo país.
Quando em Setembro de 2005 decidi que minha vida estava chata demais para uma estudante e estava cansada de sentar em bancos universitários de corpo presente, mas sem motivação de estudar resolvi fazer algo a respeito disso e utilizar meu conhecimento teórico na prática, porém nem eu mesma imaginei que acabaria no outro lado do planeta.
Após ser selecionada pela AIESEC (http://www.aiesec.org/) encontrei um estágio na minha área de interesse acadêmico na Índia. Deixar minha vida confortável e segura e trancar a faculdade por um semestre para ir morar com uma família indiana desconhecida, ter regras familiares novamente e trabalhar com um assunto nada delicado em uma nação onde a palavra “sexo” ainda é um tabu, não foi surpresa para muitos, especialmente para minha família quando comuniquei tal desafio. Acredito que de todas as pessoas que me apoiaram não há como agradecer o apoio e o respeito completo da minha família pela minha “loucura” como muitos dizem.
Ainda lembro muitos me dizendo que “seis meses não é muito tempo para mudar conceitos e valores enraizados”, hoje aqui sentada tentando entender o que vivi, tenho cada vez mais certeza que foram as 28 semanas mais enriquecedoras, desafiadoras e, muitas vezes, insuportáveis da minha vida até agora.
Tive a felicidade de vivenciar a cultura e aprender a amar uma nação que, muitas vezes, não me deixou dormir. Aprendi a olhar além dos meus horizontes visíveis e amar um país que, muitos, odeiam devido à sujeira excessiva, a falta de higiene, a comida apimentada, como as mulheres são tratadas e como os homens olham as estrangeiras e o trânsito caótico. Odiar a Índia é muito mais fácil do que amar. Há muito a ser odiado, mas há tanto para se apaixonar se deixarmos nossos conceitos de “certo e errado”, “bom e ruim”, “ocidente e oriente”, “capitalismo e socialismo” de lado. Tudo na Índia é ao contrário. Amor pode ser ódio e na nação de Gandhi, o capitalismo surge à flor da pele nos jovens, ao mesmo tempo em que peregrinos ainda caminham em busca da verdade eterna. A contradição mora na Índia e, assim, aprendi a desenvolver a maior virtude humana: paciência. É na Índia que você pode escolher entre morrer de ataque cardíaco ou aprender que nem tudo está sob nosso controle.
Trabalhei seis meses para a ONG “Child Foundation of India” sob a responsabilidade do Dr. Kutikuppala Surya Rao em Visakhapatnam – Andhra Pradesh com um assunto nada delicado como HIV/AIDS numa nação que em 2006 tornou-se número 1 em maior quantidade de pessoas vivendo com HIV/AIDS no mundo, tendo agora 5.7 milhões pessoas infectadas pelo vírus. Índia assiste a uma geração morrer e, infelizmente, ainda quer acreditar nos valores tradicionais enraizados há milhares de anos como sexo somente após o casamento.
Quando a exaustão psicológica, a frustração lingüística e o trabalho que nunca terá um final me apavoraram, desistir nunca se tornou uma opção e muito menos deixei de sonhar. Meu trabalho foi consistente e desafiador. Vi o ser humano na sua real essência e aprendi que precisamos muito pouco para viver. Vivi cada segundo como se fosse o último e trabalhei cada dia como se fosse o final do mundo – afinal, estamos a caminho, se já não atingimos, de um caos social, onde o ser humano só tem olhos para si mesmo. No entanto, houve dias que nunca desejei estar em outro lugar a não ser na Índia.
O que faz essa nação ser o que é, basicamente é sua tradição, especialmente familiar, no entanto, em pleno século XXI conceitos que, até então, estavam sendo impostos como verdades absolutas estão começando a chocar-se com a contaminação absurda de HIV pelos jovens, por simples e mero fato: vergonha governamental de distribuir camisinhas e das pessoas de falar de sexo no país do Kama Sutra.
A divisão de gênero é clara e absoluta e, o casamento arranjado ainda persiste, o que mais me surpreende é que após conversar e vivenciar tal cultura, hoje não julgo mais tal ato. Muitos casamentos dão certo e, é basicamente complicado ter contato com o sexo oposto quando ambos os gêneros crescem, estudam em lugares diferentes. Aqui estou eu, tentando compreender algo que muitos, ocidentais abominam na Índia: confiar nos pais para um amor eterno. Talvez isso só demonstre dois fatos: A Índia me transformou em alguém insuportavelmente tolerante ou apenas surtei por completo.
Aprendi que respeitar os costumes de uma nação é respeitar, também, a si mesmo. Chorei por razões absurdas e suei muito embaixo ou não do sol de 45 graus e sorri, sorri mais do que qualquer outro momento na minha vida. A Índia ensinou-me a valorizar o ser humano.
A Índia pode ser o que você quiser que ela seja. Isso depende muito de quem e como está vivendo nela.
Aceitei o desafio e vivi cada segundo dele. Não sou uma pessoa melhor ou pior, mas sim diferente do que era antes de embarcar para a Índia e não vou negar que lágrimas correram dos meus olhos quando o avião levantou vôo de Mumbai para um outro mundo e prometi a mim mesma que volto o mais breve possível.
***
Leia também os relatos das seguintes pessoas no blog Indi(a)gestão:

08/02/2006 – Relato da Roberta
16/02/2006 - Relato da Roberta – Continuação
24/02/2006 – Relato da Roberta – Continuação
10/03/2006 – Relato da Roberta – Continuação
31/03/2006 – Relato da Roberta – FIM
06/04/2006 – Renato na Índia
17/04/2006 - Desabafo
19/04/2006 – Silvia e Ana, uma visão jornalística da Índia
29/04/2006 – Marcelo Panhoca – O Viajante
04/05/2006 – Depoimento da Karen
15/06/2006 – O Verão Indiano e a Paulinha Portuguesa
21/08/2006 – Agnes – Relato – Parte I
22/08/2006 – Agnes – Relato – Parte II
05/09/2006 – 10 Coisas que odeio sobre a Índia


OM Shanti

11 de setembro de 2006

PM Indiano no Brasil


Namastê = Nâmaskar

O Primeiro Ministro indiano Manmohan Singh chega HOJE ao Brasil.

Já fazem 38 anos que nenhum Primeiro Ministro indiano visita o Brasil com a finalidade de intercambio econômico, e finalmente Manmohan Singh está quebrando este jejum.

Em janeiro de 2004 o presidente do Brasil, Lula da Silva, esteve em visita oficial aqui em Delhi e foi o convidado de honra do desfile em comemoração ao dia da Republica indiana. No centro da foto sou eu e atrás de mim meu esposo, no jantar oferecido pela Embaixada do Brasil em Delhi ao presidente Lula.

Manmohan Singh chega a Brasília acompanhado do Ministro do Comércio e Indústria Kamal Nath, o Ministro da Relações Exteriores Anand Sharma, o Conselheiro de Segurança Nacional M.K. Narayanan, o Secretário de Exterior Shiv Shankar entre outros.

O Primeiro Ministro indiano fica 2 dias no Brasil. Hoje é dedicado puramente a assinatura de acordos bilaterais de comércio e amanhã será dedicado a IBSA, a iniciativa de cooperação comercial entre Índia, Brasil e África do Sul.

O último PM a visitar o Brasil com a finalidade de acordos comerciais bilaterais foi a finada Indira Gandhi em 1968.



***
O governo indiano notificou a prisão Tihar para que de agora em diante 25% do que os prisioneiros ganharem trabalhando nas oficinas da prisão terão que ir para a vítima ou seu herdeiro.
Gostei desta idéia!! :-)

***
O time de futebol East Bengal, de Kolkata, contratou o técnico brasileiro de futebol Roberto Pereira da Silva de 60 anos de idade para ser técnico do time. Roberto Pereira da Silva tem 30 anos de experiência.

Da Silva NãO foi o único brasileiro contratado pelo time. O East Bengal contratou também o atacante brasileiro Márcio Fernandes Tomaz de 28 anos de idade e conhecido como “capixaba”, e o jogador Luís Otávio de Souza, que já está jogando na defesa.

Que Deus os ajudem, pois jogar sob aquela umidade e calor de Kolkata não é fácil. Agora resta torcer para esses 3 brasileiros fazerem bonito.

Incredible India!

OM Shanti

10 de setembro de 2006

Motorista Indiano de 4 anos

Motorista Indiano de 4 anos

Namastê = Nâmaskar

Veja a reportagem sobre o garoto de 4 anos de idade que já dirige pelas ruas da Índia.
A reportagem está em PORTUGUÊS.
A repórter esqueceu de mencionar que os pais indianos de castas baixas forçam seus filhos a trabalharem desde criança, embora isso seja oficialmente proibido por lei. Por isso mesmo todo pai quer ter um filho (menino) e não uma filha. O garoto desde pequeno ajuda no sustento da família enquanto as meninas “só dão despesa”.
http://www.youtube.com/watch?v=kE-Pm4qFGlQ

OM Shanti

9 de setembro de 2006

Ioga - Parte 4 - DHOUTI


Nâmaskar

Todos os sábados estarei postando sobre ioga.

ATENÇÃO: Não copie estas postagens sem autorização pois tem copyright (direitos autorais).


IOGA não é só Asana e Pranayama. Se você aprendeu somente asanas e pranayamas saiba que você não aprendeu a verdadeira ioga indiana, mas sim uma adaptação para ocidentais.

Continuação...

Dhouti: Dhouti é realizado para limpar o estômago. Dhouti significa – “Lavar”. Normalmente tem três classificações – Vaman Dhouti, Gajkarani, Vastra Dhouti e Danda Dhouti.

a) Vaman Dhouti (Vomitando):

Método: Isto deve ser feito após ter terminado suas tarefas matutinas. Para isso prepare 1 a 2 litros de água morna com uma pequena quantidade de sal adicionado e tente beber esta água o máximo possível, curve-se a 90 graus para frente, coloque os dois dedos médios da mão esquerda na garganta, isto causará vômito e a água sairá. Deste modo, ao tocar a parte interna da garganta com os dedos, jogue pra fora toda a quantidade de água. Aqueles que tem vermelhidão nos olhos não devem fazer isso forçosamente. Não curve-se muito para frente e as pernas devem ficar juntas uma da outra. Esta ação também é conhecida como badhi kriya.

Benefícios: O fleuma no estômago, pitta (bile) e comida não digerida, etc. saem com o Vaman Dhouti. Aqueles que tem problemas de fleuma, problemas respiratórios, asma, acidez, etc. devem praticar esta atividade. Quando a doença estiver diminuindo, reduza esta atividade também.
Dhouti remove bile anormal e também ajuda a remover qualquer febre do corpo pela perspiração. Isto também pára tontura e outros problemas. Isto deve ser feito uma vez por semana.

b) Gajakarani ou Kunjara Kriya

A única diferença entre Vaman Dhouti e gajakarani é que no anterior, água sai intermitentemente, enquanto que no último, toda a água sai de uma só vez. Gaja ou kunjara significa elefante. Como um elefante enche a tromba com água e joga tudo de uma só vez como um chafariz, esta ação ocorre do mesmo modo. Portanto, chama-se gaja-karani, que significa ‘fazer com um elefante’.

Método: Beba o máximo de água possível e após beber, curve-se em um ângulo de 90 graus. Contraia a garganta, boca e pescoço e inspire como em ujjayi ou empurre o ar no estômago, como se faz ao beber água em goles. Agora contraia o abdome. Isto contrairá o estômago e a água sairá como numa cachoeira. Pode-se por uma leve pressão também no abdome com a mão esquerda.

Benefícios: Conforme mencionado acima.

c) Vastra Dhouti

Método: Pegue um pano de musselina, com sete metros de comprimento por quatro dedos de largura. Enrole-o e deixe-o numa vasilha com água fervente de 4 a 5 minutos. Agache-se e ponha uma ponta do tecido na parte de frente da ponta da língua. Lentamente engula o tecido com a saliva como fazemos ao comer a comida. De quando em quando beba água para facilitar o ato de engolir o tecido. No início ocorrerá uma sensação de vômito. Quando sentir vontade de vomitar, feche a boca. No início somente 1 m ou 1.5 metros será engolido. Com prática, você será capaz de engolir todo o tecido lentamente. Após engolir o tecido fique em pé e faça uddiyana bandha e nouli direito 2-3 vezes. Após fazer nouli, agache-se e lentamente remova o tecido. Ao retirar o tecido se ficar preso, re-engula uma parte de tecido e então remova-o. Após ter tirado todo o tecido, lave-o apropriadamente com sabão, etc. e guarde-o em local limpo após secar.

Precauções:
Ao engolir o tecido, não o pressione embaixo dos dentes.
Ao engolir o tecido, pelo menos 35 cm devem ser deixados para fora.
Após cerca de 20 minutos da ação de engolir, é necessário remove-lo, caso contrário, a parte frontal do tecido, que neste tempo alcançou o fim do estômago, pode ser digerido e provavelmente lhe causará mal. Portanto após 15 a 20 minutos, qualquer que seja o comprimento de tecido engolido, deve ser retirado.

Aqueles que sofrem de acidez excessiva ou tenham qualquer tipo de úlcera no estômago, não devem praticar esta atividade.

Benefícios:

Vastra Dhouti remove o fleuma que cobre a parede interna do estômago, que ajuda na criação dos sucos gástricos resultando na melhoria do apetite.

É particularmente benéfico aos pacientes sofrendo de fleuma. Esta atividade é muito boa no caso de inchaço crônico do estômago.

d) Danda Dhouti

Método: Ferva 1 metro de comprimento e 6 mm redondo tubo de borracha macio em água, para desinfetar.
A ponta que deve ser introduzida na boca, deve ser primeiramente levemente lixada em uma pedra. Agora beba 1-2 copos de água morna salgada segundo sua capacidade. Agora fique em pé curvado para frente. Ponha uma ponta do tubo na boca e tente engolir lentamente. Engula somente até que atinja o estômago. A outra ponta fica pendurada para fora. Assim que o tubo atingir o estômago, a água começará a sair automaticamente devido a ação de sifão. Assim, jogue toda água fora, que foi engolida antes.

Precauções: O tubo deve ser esticado e verificado antes de usar. Se não pode haver uma chance de quebrar dentro do estômago.

Benefícios: Quando o bolo fecal acumula os sucos gástricos secretados pelas glândulas no estômago, a secreção de sucos gástricos é impedida. Devido a isso, uma ação reversa causa as paredes do tubo de ar excitarem-se e soltarem-se, resultando em expulsão de fleuma. Assim, sente-se autos níveis de fome e pacientes sofrendo de asma se beneficiam especialmente. Como resultado o enrijecimento causado no tudo de ar devido a asma se normaliza e ajuda a parar ataques asmáticos.

Olha, sei que Neti e Dhouti são estranhos a cultura ocidental, mas funcionam e são normais aqui na India. Na verdade são praticas iogues. Isso mesmo, faz parte da vida de quem pratica hatha ioga. Inclusive você pode ver em detalhes no website do famoso Sivananda.

Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti

8 de setembro de 2006

Economia Indiana


Namastê = Nâmaskar

Veja o que escreveu o jornal The Economist.

Duas grandes nuvens ameaçam o futuro brilhante da Índia
The Economist

Numa visão ampla, o futuro da Índia parece brilhante. O país eliminou a fome e reduziu a pobreza absoluta em mais de 50%. O crescimento econômico é dos maiores do mundo. Confiantes, suas empresas estão ampliando o leque de atuação. Por muito tempo associada ao Paquistão como um perigoso foco de problemas, a Índia é hoje vista como parte de um par “Índia-China” que está transformando a economia mundial. Caso se tratasse de uma corrida, a Índia, por ser o país mais jovem e uma democracia vibrante mas estável, pareceria aos olhos de muitos a melhor aposta para o longo prazo.

Vista de perto, porém, a Índia pode desapontar o observador, pela profundidade e complexidade dos problemas que enfrenta. A despeito dos avanços, a pobreza continua arraigada. Cerca de 260 milhões de pessoas sobrevivem com menos de um dólar por dia. Quase 50% das crianças com menos de seis anos são subnutridas. Mais de metade das mulheres são analfabetas. Metade dos domicílios não têm eletricidade.

E não há um pote do tesouro de onde tirar dinheiro para atacar essas deficiências. O déficit público médio de 2000 a 2004 foi suplantado apenas pelo da Turquia. Mesmo quando o governo efetivamente injeta dinheiro, o caminho entre os cofres públicos e os beneficiários é minado por corrupção, e muito dinheiro some.

Com aponta o Banco Mundial em novo relatório, essa contradição intriga observadores de três maneiras. Primeiro, eles julgam o desmedido otimismo econômico difícil de engolir: ele parece exagerar as mudanças nos fundamentos da economia indiana. Segundo, apesar de a economia estar em expansão acelerada, o desempenho do setor público parece ir de mal a pior. Terceiro, a Índia “é a melhor do mundo, é a pior do mundo — e as desigualdades estão crescendo”. As melhores faculdades de tecnologia do país estabelecem padrões mundiais. Mas “muitas, se não a maioria das crianças, terminam a escola primária pública incapazes de dominar a aritmética simples”.

Nessa confusa matriz de contradições, o relatório identifica as duas necessidades mais prementes de ações pelo governo da Índia: aperfeiçoar a disponibilização, pelo setor público, de serviços básicos; e sustentar o crescimento em níveis elevados, mas estendendo seus frutos a mais pessoas.
Dessa avaliação simples, porém persuasiva, surgem os dois maiores riscos para o futuro da Índia. O fracasso de reformas no setor público fará com que mesmo um crescimento elevado e políticas de longo alcance se revelem ineficazes na eliminação da pobreza; e, a menos que seja contida, a crescente desigualdade entre regiões, e entre cidades e campo, agravarão as tensões sociais.As deficiências do setor público são evidentes em quase todas as suas funções. A Índia, por exemplo, tem um governo comprometido em prover serviço de saúde a toda a população. Mas há só cinco países no mundo com um gasto público menor no setor. A governo responde por apenas 21% do gasto (contra 45% nos EUA). Assim, até os pobres estão pagando por assistência médica privada. Uma pesquisa também descobriu que o sistema de saúde absorve uma fatia maior (27%) de suborno “miúdo”, de baixo nível, do que qualquer outra função governamental. Outro estudo detectou que de 1999 e 2003 o percentual de crianças totalmente imunizadas contra enfermidades que atacam na infância caiu de 52% para 45%.

Paralelamente, em muitas cidades da Índia, mais da metade das crianças está em escolas particulares. Uma pesquisa de abrangência nacional, baseada em visitas de surpresa a escolas públicas, descobriu que menos de metade dos professores nas folhas de pagamentos estava presente e dando aulas. Enquanto em muitos países pobres os moradores nas cidades têm acesso ininterrupto a água, em muitas cidades indianas as torneiras só não estão secas durante umas poucas horas por dia. Os ricos compram bombas, abrem poços e constroem caixas d’água. Os pobres ficam horas nas filas para obter água de bicas e caminhões.

O setor público tende a ser pior na prestação de serviços nos Estados mais pobres da Índia. Esses estão, em termos relativos, ficando mais pobres, não porque suas economias estejam em declínio, mas porque não conseguiram igualar a aceleração alcançada desde 1991 pelas regiões e cidades mais ricas. Partes do país estão, em termos de padrões de vida, no mesmo patamar que o México. Outras são pobres como a África Subsaariana.

Embora a Índia tenha, em comparação com outros países, uma distribuição relativamente eqüitativa de renda, o país tem uma sociedade profundamente desigual, em parte devido a sua herança de estratificação e exclusão sociais. O sistema de castas está se revelando resistente, e há evidências de que, em alguns aspectos, o preconceito contra meninas está piorando. Em áreas ricas, abortos seletivos de fetos femininos estão resultando numa proporção muito distorcida no sexo das crianças. E a distorção não é menor entre os pobres. Uma menina nascida no início da década de 90 tinha chance 40% maior do que um menino de morrer entre o primeiro e o quarto ano de vida.

Isso deve ser lido como uma lista de razões para pessimismo em relação à Índia? Longe disso. A beleza em reduzir a miríade de problemas do país a duas questões interrelacionadas é a de todas as simplificações: faz com que as soluções pareçam mais simples, ainda que este diagnóstico econômico dos males indianos sugira curas que são principalmente políticas.Os governos indianos mais recentes tiveram — e o atual, acima de todos, tem — uma clara e sensata idéia de suas prioridades: investir em infra-estrutura, saúde e educação e melhorar a produtividade agrícola. Não são tanto as políticas que estão fracassando, é mais o maquinário para implementá-las.

Na cenário político-eleitoral, boas políticas são freqüentemente esquecidas, privilegiando-se promessas, contratos e subsídios que tragam votos. E o funcionalismo público indiano, como as burocracias em qualquer país, é exímio em resistir a reformas. Mas a Índia é suficiente grande para ter muitas histórias de reformas bem-sucedidas que possam ser imitadas: a maioria envolve tornar os provedores de serviços pagos pelos contribuintes mais responsáveis pela prestação desses serviços. A disseminação dessas lições não deve estar fora de alcance da maior democracia do mundo.

Colaborou: Adir Tavares

Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti

7 de setembro de 2006

Morning Raga


Nâmaskar = Namastê

Na segunda-feira eu havia feito um desafio as plagiadoras que copiam meu blog para escreverem ANTES de mim sobre um filme que trata de música e foi lançado em 2004, mas já vi que não o fizeram, portanto eu escreverei sobre o filme MORNING RAGA hoje.

O delicado filme MORNING RAGA foi escrito e dirigido por Mahesh Dattani.

Categorizado como ‘Drama’ o filme é na verdade um ‘Drama Musical’. Ele uni brilhantemente a tradicional música indiana RAGA com a música moderna.

Se você é uma amante de música com certeza vai apreciar muito este filme. Se você não conhece nada sobre música indiana este filme vai te ensinar muito pois vai te mostrar a antiga música tradicional do estilo Raga e a música moderna que os jovens gostam e curtem atualmente.

A frase ‘é uma verdadeira viagem cultural através da musica’ se aplica perfeitamente a este filme. O filme tem uma estória bem escrita (drama) e ao mesmo tempo é um filme doce e delicado.

A atriz principal Shabana Azni tem uma atuação impecável no papel da cantora de Raga do sul da Índia, Swarnlatha.

Clique no link abaixo e veja a música inicial deste excelente filme.

http://www.youtube.com/watch?v=PIYFIvhLO98

Mas o que é Raga???

Raga tem uma escala musical especial e movimentos melódicos específicos. Os ocidentais ainda não conseguiram defini-la completamente, talvez porque a Raga transcenda qualquer explicação musico-racional que se possa fazer.
Na fascinante mas complexa história da Raga, algumas sendo da época medieval, sabe-se apenas que as Ragas invariavelmente sofreram transformações através dos séculos, e muitas caíram em desuso.

Uma Raga deve evocar uma emoção em particular ou criar uma certa ‘atmosfera’, que é difícil definir. Como a própria palavra sugere, a Raga dever ‘colorir’ a mente, ou seja, estimular e levar o ouvinte a sentir certa emoção.

Temos Ragas específicas para certas horas do dia como a MORNING RAGA especifica para a manhã.

Temos também Ragas especificas para as estações do ano, primavera, verão, monções, outono, pre-inverno e inverno. (Na Índia consideramos 6 estações do ano!)

Portanto temos Raga para o anoitecer do inverno, o amanhecer do outono, a tarde da primeira etc. São muitos Ragas!!! A estrutura melódica de cada Raga é especifica para cada hora do dia ou da noite e a cada estação do ano. O Raga te põe no ‘clima’ certo para aquele momento especifico.

O que a Raga faz na verdade é te harmonizar para aquela hora especifica do dia ou da noite. Ouça a Raga da Manhã antes de sair para trabalhar e veja só como o período da manhã transcorre para você!

Se você puder, não deixe de assistir ao filme MORNING RAGA, e tenha com você um CD de Raga.

Leia também a postagem do dia 20 de Abril de 2006 no http://www.indiagestao.blogspot.in/ Instrumentos Musicais Indianos.

Agora veja como ficou a fusão entre a música moderna e a tradicional Raga.

Observe a classe e a elegância da atriz Shabana Azni vestindo um lindo sari vermelho nesta cena do filme Morning Raga.

http://www.youtube.com/watch?v=5pOXtE14uQM

Postagem inspirada no meu amigo Kaká. Obrigada querido!!

Om Shanti

6 de setembro de 2006

Garota Indiana casa-se com cobra!!



Namastê = Nâmaskar

Uma mulher que estava doente e começou a dar comida a uma cobra (réptil) após algum tempo, ela se curou. Assim sendo, Bimbala Das casou-se com a cobra.

Os sacerdotes hindus fizeram o ritual de casamento costumeiro, embora a cobra não tenha saído de seu buraco. Pelo menos a família da moça não teve que pagar o dote a família da cobra/noivo. A mãe da moça disse “estou feliz”. Sendo que ainda lhe restam mais duas filhas moças para casar.

O casamento contou com 2 mil convivas no estado de Orissa que fica ao leste do país. Foi o irmão da moça que bancou a festa.

Leia a postagem de 06 de Março de 2006 no www.indiagestao.blogspot.in  Menina Casa-se com Cachorro

O casamento com animais e objetos inanimados não é raro por aqui. O próprio deus Ganesha (aquele com cabeça de elefante) é casado com uma bananeira. Não sabia?!?! Mas o que você sabe sobre a Índia??? hehehehehehehehehe

Casam-se crianças e pessoas doentes ou sem sorte com animais e objetos inanimados para assim ‘transferir’ a doença ou mau agouro para o parceiro.

Isso me fez recordar que em hipnologia a hipnóloga transfere a fobia de um paciente para uma planta ou objeto. Até mesmo Sigmund Freud antes de descobrir a psicanálise estudou e trabalhou com hipnose por uns tempos.

Alguns indianos casam-se com bodes, outros com árvores...

E você, com o que vai casar???? ;-)


Incredible India! (slogan oficial do governo indiano)

OM Shanti

5 de setembro de 2006

10 Coisas que odeio sobre a India


Nâmaskar = Namastê

Segue abaixo o artigo de Claude Arpi de 22/06/2006.

10 Coisas que odeio sobre a Índia

95% da Índia é boa mas há coisas que mesmo após 30 anos morando na Índia ainda não consigo engolir.

Aqui está a lista de 10 coisas que não consigo ‘digerir’ sobre a Índia.

1. Falta de Energia Elétrica: Enquanto estava escrevendo este artigo houve mais uma falta de energia.
2. Funcionários Públicos de Baixo Escalão: Eles não respondem cartas, perguntas, criam burocracia desnecessária, etc.
3. Falta de Acesso a Documentos Históricos: Os documentos sobre a independência da Índia não podem ser acessados, assim como os que desvendariam os problemas políticos em relação a Kashmira.
4. Discriminação para com o Turista Branco: Os turistas brancos tem que pagar mais por tudo desde a entrada ao Taj Mahal até a coisa mais simples que ele queira comprar. Eles crêem que todo branco é rico.
5. Paranóia quanto a Mapas: Certa vez fui ao distrito de Tawang em Arunachal Pradesh e fiquei pasmo ao ver que mesmo no escritório do governo não havia mapas. Havia simplesmente um esboço do que o distrito deve ser. E o Google Earth que está disponível por todo o mundo?
6. Paranóia quanto a Fotografias: Não se pode tirar fotos de nada ou filmar nada. Em alguns lugares até deixam após você pagar 250 Reais e pegar um carimbo de autorização.
7. Políticos: Tem político que distribui dinheiro e outros que distribuem saris para as mulheres em época de eleição...
8. Negligência para com o meio ambiente: Não respeitam e não cuidam da flora e fauna.
9. Trânsito: Caótico e barulhento
10. Corrupção: Em todos os setores da vida pública e privada.

O coitado do francês que mora aqui na Índia há 30 anos estava num dia de crise quando escreveu o artigo hehehehehehehehe.
Normal, eu também tenho MUITOS dias de crise principalmente durante o verão (Maio - Setembro).


Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti


.

4 de setembro de 2006

Museu do Toilet


Namastê = Nâmaskar

Em 1857 Joseph Cayetty inventou o papel higiênico que era vendido as escondidas nas farmácias pois as pessoas sentiam-se envergonhadas ao comprar. Papel higiênico macio apareceu em 1932 e o papel colorido só em 1957, mas não na Índia, claro!

Aqui na Índia como você já sabe, uma minoria de pessoas usa papel higiênico e o ‘toilet’ são os trilhos dos trens ou o capim. Por isso mesmo é deveras interessante que tenhamos aqui um museu de toilets!!!! Isso é que é uma terra de contrates!

Quando vier a Delhi não deixe de visitar o SULABH MUSEUM OF TOILETS que fica na Sulabh Bhawan, Mahavir Enclave, Palam Dabri Marg. Aberto de segunda à sábado das 10h00 as 17h00.

***
A senhora Besi Devi de 90 anos de idade, da vila Bhetinalla que fica a 100 km de Shimla, casou-se com Pratap Singh de 50 anos de idade.
O fato dela ser viuva e de ser 40 anos mais velha que o marido é que casou espanto pois isso ainda é um grande tabu aqui. Viuvas no geral não se casam novamente após a morte do marido. Nem Sonia Gandhi que é italiana de nascença ousou quebrar esta tradição-tabu.

***
As donas de casa indianas estão topando tudo por dinheiro.
Elas estão posando nuas em escolas de pintura, alugando a barriga para casais sem filhos, sendo voluntárias para testes clínicos etc.
Posar nua aqui em Delhi paga o equivalente a 100 Reais por 4 horas sem se movimentar.
Alugar o útero para parir filhos de outras pessoas é mais lucrativo, paga cerca de 8 mil reais.
Fazer artesanato é coisa para as mulheres do interior, as das cidades grandes estão descobrindo outras fontes lucrativas de dinheiro. E você ainda acha que a Índia é espiritualizada????? ACORDA!!!!!!!! Aqui o povo é capitalista ao extremo!!!!!

***

Estou decepcionada com certas pessoas sem criatividade que descaradamente lêem o blog e copiam certas matérias e as põem em seus próprios blogs e comunidades do Orkut sem mencionar a fonte, como se fossem elas que tivessem escrito!!!

Eu sei que o Indi(a)gestão e o (In)diarréia são fontes de inspiração para jornalistas, estudantes e blogueiros, mas por favor gente, tudo tem limite!!

Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti

3 de setembro de 2006

Bahut Dhanyavaad !!!




Nâmaskar = Namastê


Hoje é um dia especial. Um dia de Agradecimento.

Quero agradecer todas as manifestações de apoio quando o blog Indi(a)gestão foi bloqueado uma segunda vez.

Deixo aqui meu carinho especial a alma boa e generosa que fez a gentileza de escrever para o Blogspot pedindo para reativar o Indi(a)gestão e pedindo a vocês para também escreverem pedindo para salvar nosso blog querido.
Veja abaixo o que essa pessoa escreveu:

Lutando pelo Indi(a)gestão

Para mandar uma mensagem para o Blogspot sem precisar se cadastrar vá em:

http://help.blogger.com/?page=wishlist&skiplogin=yes
"Or suggest a new feature:"

E ponha o seu apelo para salvar o Indi(a)gestão, eu já mandei o meu:

"Please free the Blog INDI(A)GESTÃO (http://www.indiagestao.blogspot.in/). It is a VERY useful font of knownledge about India, used by teachers, students, travellers, etc. This Blog is a victim of religious and social persecution. Thank you very much."

A mensagem é pequena porque o espaço é limitado, mas serve!

Um grande abraço a todos, especialmente pra você Sandra.

Não sei quantos de vocês escreveram pedindo para o Blogspot liberar o Indi(a)gestão, mas agradeço de coração pois funcionou!!!!
Nosso blog querido já voltou a funcionar!!!!

VALEU PESSOAL!!!!!!! OBRIGADA!!!!!!!!

Também quero agradecer a Miryan, a Elaine Predis e ao Kleverson que escreveram para seus amigos e comunidades no Orkut avisando sobre o blog.

Em fim, são manifestações como estas de amizade, carinho e confiança no meu trabalho que me estimulam a continuar escrevendo sobre a Índia para vocês.

Muito obrigada a todos! (Bahut dhanyavaad)

Om Shanti


.

2 de setembro de 2006

Ioga - Parte 3 - NETI



Nâmaskar

Todos os sábados estarei postando sobre ioga.

ATENÇÃO: Não copie estas postagens sem autorização pois tem copyright (direitos autorais).

Continuação...

IOGA não é só Asana e Pranayama. Se você aprendeu somente asanas e pranayamas saiba que você não aprendeu a verdadeira ioga indiana, mas sim uma adaptação para ocidentais.

Dhouti, Basti, Neti, Trataka, Noli e Kapala-bhati, são seis atividades que foram ensinadas aos seguidores do caminho da ioga. Todos os aspirantes da ioga devem pratica-los regularmente. Eles estão descritos detalhadamente abaixo:

Neti: Aceitar tipos diferentes de fluidos pelo nariz chama-se Neti.

Tipos de Neti:
(a) Jal Neti, (b) Sura Neti, (c) Ghrta Neti, (d) Tail Neti, (e) Dugdha Neti

(a) Jal Neti:

Método: Adicione 10 gr de sal de rocha em um litro de água, aqueça para deixar morna e ponha na vasilha a ser usada para Neti.
O período da manhã é ideal para se fazer Neti. No caso de uma doença em particular, pode ser feito duas vezes ao dia. Ponha o canudo da vasilha na narina direita e mantenha a narina esquerda levemente para baixo. Abra um pouco a boca e respire pela boca. A água começará a sair pela narina esquerda por si só.
Similarmente, faça o mesmo com a outra narina. Se não houver fleuma, o Neti pode ser feito lentamente sem o sal, usando água fria. Aqueles sofrendo de coriza e catarro devem fazer somente com água salgada morna. Aqueles que não tem fleuma devem começar a fazer com água morna e lentamente mudar para água em temperatura ambiente.
Neti cura resfriado e catarro mas algumas pessoas ficam resfriadas ao fazer Neti. Após o Neti, faça também Kapalabhati para que a água entrando ou já presa dentro dos sacos vazios possa sair, assim a pessoa não pega resfriado e catarro.

b) Sutra Neti:

todo: Sutra-Neti é feito com um fino cordão feito de algodão. O cordão deve ser molhado na água antes de inserir no nariz. Após molhar na água, deve ser levemente dobrado no final onde é aplicado cera, para que possa facilmente entrar na narina. Agora lentamente ponha o Neti dentro da narina direita e quando atingir a boca, remova lentamente com a ajuda da mão.

Note: No caso de Sutra-Neti não estiver disponível, um cateter tamanho 4/5 pode ser usado para este propósito. Sutra-Neti cria uma dor leve típica no nariz e garganta, portanto, após Sutra-Neti, ghrta-Neti ou Tail Neti deve ser realizado.

c) Ghrta Neti, etc:

Método: Sente-se numa cadeira ou deite-se numa cama dura e mantenha a cabeça levemente suspensa para trás. Com a ajuda de um conta-gotas ou uma pequena colher, despeje 8 a 10 gotas de ghee morno nas narinas. Deste mesmo modo é feito Tail-Neti. Beber leite pela narina chama-se Dugdha Neti.
Após obter proficiência em Jal Neti, deve ser feito Dugdha Neti. Em Dugdha Neti, o leite não é permitido sair pela narina como no caso do Jal Neti, o leite deve ser lentamente engolido.

Benefícios:

Em Hath-ioga Pradapika, está escrito que Neti purifica a testa, melhora a visão e cura rapidamente todas as doenças do corpo acima da garganta.

“Kapala-sodhani caiva divya-drsti-pradayini
Jtrurdhva-jatarogaugham Netirasu nihanti ca”


Neti definitivamente cura coriza e catarro, e outras doenças kaphaja. É extremamente benéfico em problemas nos olhos, branqueamento dos cabelos, dor de cabeça e outras doenças. O propósito do Neti não é somente limpar o nariz mas também proteger a membrana fleumática (e torna-la mais forte) contra poluição externa, partículas de poeira, fumaça, calor, frio, bactéria e outros germes. Algumas pessoas possuem uma membrana sinovial muito sensível, que fica irritada por estímulos atmosféricos. Isto chama-se alergia. Neti reduz a sensibilidade da membrana sinovial e cura todos os problemas. Em algumas pessoas, o osso do nariz aumenta. Nesta situação a sinusite pode ser curada com Neti em estágio inicial.

Para mim essa coisa de colocar líquidos nas narinas me dá desespero. Nunca nem gostei de colocar descongestionante nasal. Em fim, o Neti é uma prática MUITO antiga aqui na India e os indianos me garantem que é muito boa.

Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti

1 de setembro de 2006

Coca aqui não Cola


Nâmaskar

Matéria que saiu no jornal Valor Econômico de 29 de agosto, 2006:

Ásia - Kerala, governada pelo Partido Comunista, já proibiu Coca e Pepsi. Estado da Índia quer abolir uso de produtos Microsoft, Jo Johnson.

O governo comunista de Kerala, Estado no sul da Índia, deflagrou uma campanha para transformar seu território numa área interditada à Microsoft, menos de uma quinzena após ter proibido a venda e a produção dos dois simbólicos refrigerantes americanos: Coca-Cola e Pepsi.

Após voltar ao poder no Estado em maio, o Partido Comunista da Índia formou um governo de orientação marxista. Agora, as autoridades estaduais anunciaram um plano de três anos para combater o que afirmam ser o monopólio de poder da gigantesca companhia americana desenvolvedora de software de Bill Gates mediante o incentivo à rápida adoção de sistemas operacionais de fonte aberta em colégios e faculdades estatais. Os comunistas apóiam o governo central do primeiro-ministro Manmohan Singh.

“Haverá, possivelmente, algumas poucas pessoas que continuarão preferindo usar produtos Microsoft, mas a maioria deverá ficar livre desse entrave”, disse M.A. Baby, o ministro (secretário) da Educação estadual. “Não banimos a Microsoft, mas somos contra monopólios em qualquer área e incentivaremos vigorosamente o software livre.”

Neste mês, o governo de Kerala alarmou investidores estrangeiros ao impor uma proibição à produção e venda dos refrigerantes Coca-Cola e Pepsi, depois de um grupo ambientalista de Nova Déli ter alegado que eles continham níveis elevados de pesticidas. Seis outros Estados indianos também proibiram a venda desses produtos.

Segundo o plano de transição proposto, as crianças nas 12,5 mil escolas de ensino médio aprenderão a usar o Linux, em vez do Windows, num revés para as ambições da Microsoft no mais avançado Estado indiano em termos de sistema educacional. A taxa de alfabetização em Kerala disparou para mais de 90% em 2001, em relação aos 55% registrados em 1961, e em comparação com a média nacional de 65% para a Índia.

“Kerala pode ser um Estado pequeno, mas é um mercado alvo crucial para nós, assim como para qualquer outra companhia em operação na Índia”, disse Rohit Kumar, gerente nacional para o setor público na Microsoft na Índia. “Respeitamos as decisões de nossos consumidores, mas acreditamos estar oferecendo produtos a preços bastante acessíveis a instituições educacionais.”Sanjiv Kataria, um consultor que atua no setor de informática, disse que o estímulo ao uso de software de fonte aberta em Kerala é motivado tanto por uma escassez de recursos financeiros como por antipatia ideológica à Microsoft. “Dinheiro é um recurso escasso no Estado, e a alternativa é adiar o avanço em ensino auxiliado por computador.”

Executivos da Microsoft, que vem tentando reprimir a desenfreada pirataria de software na Índia, disseram não haver, hoje, “nenhuma diferença significativa” de preços entre os produtos a empresa que vende a colégios e faculdades no país e os de softwares livres. A Microsoft vende o Windows XP Pro a instituições educacionais na faixa de US$ 25 a US$ 30 por computador pessoal, afirmou Kumar.

O sistema educacional é um mercado vital para a Microsoft na Índia, num país que fixou a meta de treinar 200 mil professores e 10 milhões de estudantes nos próximos cinco anos.Ravi Venkatesan, presidente da Microsoft India, diz haver uma “grande oportunidade para empresários que descobrirem como capturar uma pequena fatia” dos gastos previstos para o setor educacional indiano.

A Índia é hoje um dos mais importantes desenvolvedores de software no mundo. A disseminação sistemas operacionais livres no país pode ser ainda um incentivo ao desenvolvimento de mais aplicativos para esses programas.


Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti