8 de março de 2007

Dia Internacional da Mulher


Nâmaskar
Hoje ao longo do dia no blog da globo http://satelite.globolog.com.br/ irão aparecer postagens minhas contando como é ser mulher aqui na Índia e haverá também a participação de outras blogueiras de outros países (tudo em português).

Não deixe de ler as postagens feitas especialmente para este Dia Internacional da Mulher.

Parabéns e felicidades a todas vocês minhas queridas amigas, por este dia especial!! Dia Internacional da Mulher! (escrito em rosa que é bem feminino e para deixar os homens me xingando hahahahaha)

A Trajetória de Vida da Mulher na Índia - Parte I
Para muitos este dia pode ser um dia comum como outro qualquer e para uns poucos pode até parecer ridículo terem criado um dia especial para as mulheres, mas para nós mulheres de um modo geral e especialmente para aquelas, que como eu, moram em um país estrangeiro de cultura ulta machista, com certeza é um dia para celebração. E para as mulheres indianas é literalmente um dia de celebração da vida!

Sim, é uma verdadeira celebração da vida, pois até nascer mulher aqui na Índia não é fácil.
Nascer, viver e morrer é um verdadeiro sacrifício para as mulheres neste país onde se cultua a Mãe Divina e tantas outras deusas poderosas. Por isso mesmo a Índia acaba sendo o país mais contraditório e demagógico que existe. Por um lado adoram e louvam Shakti o poder feminino de Deus e por outro matam as meninas mesmo antes de nascerem. Não lhes dão se quer chance de existirem!

Nascer, é o primeiro desafio de uma mulher na terra de Parvati. A cultura indiana rejeita os bebês do sexo feminino ainda no ventre da mãe. A situação é tão grave que o próprio governo indiano está muito preocupado com a diferença quantitativa entre homens e mulheres no país. Há cerca de 35 milhões de homens a mais do que mulheres na Índia pelo simples fato das meninas serem assassinas ao nascer ou ainda dentro da barriga da mãe.

Na tentativa de reduzir este grave desnível entre homens e mulheres o governou passou lei proibindo todas as mulheres grávidas de fazerem exame de ultra-sonografia. Somente mulheres com gravidez de alto risco podem fazer este exame, mas mesmo assim o médico está proibido de informar o sexo do bebê para os pais. No entanto centenas de clínicas e hospitais continuam fazendo o aborto seletivo de fetos femininos. Quando se descobre pelo ultra-som que o feto é feminino, o aborto é feito imediatamente. A decisão é sempre tomada pelo marido e as esposas apenas fazem o que lhes é ordenado, apesar de muitas delas serem contra e quererem ter uma filha. O estado de submissão da mulher indiana é inimaginável em pleno século XXI.

Em agosto de 2006 foi encontrado um poço atrás de uma clínica ilegal de aborto com 35 fetos femininos. A clínica só foi descoberta porque uma funcionária da clínica que foi demitida quis vingar-se dos ex-patrões e os denunciou à polícia. O médico Dr. Pritan Singh e sua esposa Amarjit Kaur foram levados em custódia pela polícia. Mas o mais trágico com certeza é o assassinato dos bebezinhos femininos após o nascimento. Muitos pais sem recursos, não tem como pagar pelo exame ilegal de USG e tem que esperar até o nascimento da criança para saberem se é menino ou menina, para então poder livrar-se do fardo. No geral é o próprio pai que cuida de matar o bebezinho fêmea.
Madre Teresa, uma verdadeira santa em vida dizia aos indianos, “não faça aborto, não mate as bebezinhas, traga para mim que eu cuido” e realmente ela cuidava mesmo!! Que lição de vida, desprendimento e moral foi esta mulher!

Deixo aqui minha homenagem a esta grande mulher que fez pela população carente o que nenhum indiano jamais fez. Uma mulher que dedicou sua vida a cuidar não somente das meninas abandonadas, mas também dos leprosos, doentes, mendigos e moribundos. Uma vida inteira de bom exemplo, caridade, solidariedade e muito trabalho árduo e infelizmente ainda tão pouco valorizada pelos cidadãos do país que tanto ela amou e no qual morreu. Só quem morou em Calcutá como eu morei por três anos é que pode ter a verdadeira noção da grandeza espiritual desta mulher!

Incredible India! (slogan do governo indiano)
Om Shanti
Leia também a postagem Eu Não Era Mais Virei do dia 13/06/2006 neste blog.
Foto: Retirada da Internet (http://www.abortionno.org/World/india.html)