21 de março de 2007

Liz Aqui na Índia


Nâmaskar

Mantendo nossa tradição de depoimentos de outras pessoas sobre a Índia, hoje temos o relato da queridíssima Liz, que está aqui na Índia neste exato momento!!


Oi minha kerida
Sandra

É com imenso
prazer que
escrevo nossas
"Indiadas" para
teu excelente
Blog.

Apesar de ter o
meu próprio blog
www.liznaindia.blogspot.com
e de contar tudo que vivenciamos por aqui;
não quis escancarar o meu sofrimento profissional,
simplesmente pq sei que isso não é bom
profissionalmente falando.
No entanto percebo que todos meus amigos estão
sofrendo comigo essa angustia que me consome...
E vc esta sendo muito importante nessa fase,
minha kerida amiga.
Mas para quem não me conhece ainda, resumirei
"em detalhes" como tudo começou...
Somos de Novo Hamburgo - RS (40km de POA),
capital nacional do Calcado
(pelo menos era conhecida como tal), e como a
maioria da população
trabalhamos na área calçadista.
Somos técnicos em calcados, eu direcionada
p/ área de Desenvolvimento do
produto, designer e calce; o Edson como técnico
de produção. Devido aos
motivos econômicos do nosso pais, as oportunidades
de emprego nessa área
foram desaparecendo do nosso vale. Mts empresas
fecharam e outras mudaram
para o norte/nordeste do pais.
Assim, passamos os últimos 5 anos numa batalha
árdua de manter nossos empregos.
No inicio do ano passado, fomos escolhidos por um
cliente americano, Cole Haan (Nike), para vir trabalhar
na Índia, e cuidar de sua marca.
Hj somos funcionários de uma empresa Indiana, KHShoes,
localizada no Sul
do país, no estado de Tamil Nadu.
Nosso trabalho se direciona especificamente com este
cliente, visto que
a fabrica tem vários; mts deles Europeus.
A empresa eh uma das maiores da Índia, e tbm uma das
mais ricas. Tem em torno de 2000 funcionários, e produz
diariamente 4000pares de calcados.
Seu produto principal eh Mocassim feminino, mas tbm
produz masculino e infantil.
Moramos na Guest House, que fica no pátio da empresa,
a 100mts do nosso escritório.
Moramos com mais alguns funcionários estrangeiros,
2 Italianos e um Alemão,
mas com fluxo de clientes mt grande.
Nesta Guest, temos cozinheiros, arrumadeiras e um
"Anjo"(q faz tudo, ate levar cafezinho p gente...hehehe)
que cuidam da gente.
Nos finais de semana, fugimos da Golden Prision, e vamos
para a capital do estado, Chennai (antiga Madras), que
fica a 112km da empresa.
Hj (desde Janeiro) dividimos um apto lá, com mais
um casal brasileiro, que conhecemos pelo Orkut. Tbm
por ele, encontrei mais alguns brasileiros,
onde hj formamos uma bela comunidade. Atualmente
somos 8, sendo que tem mais 2 que não saem de casa
portanto ainda não os conhecemos...hehehe
Mas esta chegando mais um casal em breve, para a
minha alegria.
Chegamos a Índia em Julho/2006 para uma jornada
de 1 ano.
Desde nossa chegada, sempre fomos bem tratados, visto
que também somos bem educados e bem "brasileiros".
Sabem aquele povo que não reclama muito,
não eh grosseiro, fecha um olho para determinadas
coisas, enfim, um povo gente boa??!! Bem diferente
de alguns estrangeiros que passam por aqui...
Mas mesmo nos esforçando para conviver com pessoas
estranhas, e tbm com uma cultura mais estranha ainda,
fomos surpreendidos com uma falsidade que não esperava.
No inicio, a pessoa que trabalha com o Edson, estava
com receio de nós, claro que isso eh bem normal.
Mas já o meu suposto chefe, foi desde o primeiro
momento mt atencioso, curioso, e simpático.
Como aqui não tem mulher nenhuma trabalhando na área
de chefia ou de posição de destaque, eles não sabiam
o que fazer comigo e como me tratar.
Como sabem, iniciar um novo emprego já eh difícil,
imaginem num pais que vc não conhece, com pessoas de
uma cultura totalmente diferente...
Mas como a gente sempre da uma jeitinho brasileiro,
tentei me adaptar a realidade deles, e fiquei quieta
no meu canto, fazendo pesquisas e alguns desenhos
(criações), esperando de alguma maneira, uma
oportunidade.
Só que após um tempo, percebi que estavam mesmo era
me colocando de lado, dando um jeito de me enrolar e meu
chefe só dizia: - “Keep doing”.
Após 4 meses, eu enchi o saco! 
Sou super ativa, comunicativa, tenho iniciativa, e tbm
gosto de aprender se for o caso. Mas nada que eu oferecia,
sugeria, acontecia. E ai, bom ai, eu me revoltei.
Cansei de estar sentada o dia inteiro numa sala,
onde 6 meninos passavam arrotando o dia todo.
Cansei de ser enrolada.
Cansei mesmo, de ser tratada como uma mulher na Índia!!
Sim, infelizmente foi essa a minha pior decepção, ver
o quanto eles ignoram e menosprezam esse ser tão especial.
As mulheres são consideradas um ser inferior. São
maltratadas e ignoradas. É muito triste a condição da
mulher aqui. Triste mesmo.
Atualmente estou revoltada com a ala masculina Indiana!!! 
Para resolver meu dilema profissional, estou aguardando
a chegada do Diretor da empresa, que esta viajando. Pois
definitivamente cansei de conversar
com meu suposto "chefe", e o colega do Edson.
Cansei de implorar que me dessem algo para fazer,
porque calçar só me ocupa 1 hr de trabalho, o resto
do dia, fico aqui, lendo, escrevendo e
jogando paciência, que alias já perdi toda!
Acredito, que por estar na reta final da nossa jornada,
pouca coisa vai mudar. Mas o que quero deixar bem
claro eh que jamais renovarei um
contrato nessas atuais circunstancias.
Sou mulher com mt orgulho e honra, e apesar de já
ter sofrido preconceitos no Brasil na área profissional,
eu tenho ótimas experiências, mt vontade
de trabalhar e ajudar a quem precisa.
E modéstia a parte, eles precisam de muita ajuda aqui,
e nós brasileiros podemos ajudar mt mais do que
estão nos oportunizando.
O Edson mesmo sendo homem sofre mt dificuldade tbm,
mas eu, bom eu sou simplesmente ignorada por completo.
Como se eu fosse um fantasma, invisível!!
Apesar dessa decepção profissional, aprendi a amar
a Índia, a cultura daqui, as pessoas, as cores, sabores
e ate os odores (nunca me esquecerei dos
perfumes de flores e temperos!!!); mas essa imagem de
preconceito que estou levando cravada no meu peito, me
deixa triste, pois me sinto impotente.
Não quero somente resolver o meu assunto; gostaria
tbm de poder ajudar essas mulheres tão sofridas, mas
ao mesmo tempo tão belas.
Espero que de alguma maneira, mesmo que singela,
eu possa contribuir para uma futura mudança desse
machismo indiano ridículo e antiquado.
E deixar testemunhado aqui, que apesar de todos
os contrastes e choques culturais, e tbm de sentir um
amor e ódio relativamente proporcionais,
estou adorando conhecer e vivenciar tudo. Pois querendo
ou não, eh das péssimas experiências que aprendemos
as grandes lições.
Bjkas
Liz e Edson

Eu Sandra, gostaria de acrescentar que já por duas vezes ouvi mulheres que vieram aqui trabalhar reclamar do mesmo grave problema do exacerbado machismo indiano; portanto quando Liz me contou sobre o problema dela isto não me surpreendeu. Infelizmente é a norma por aqui. O preconceito dos homens indianos em relação a capacidade profissional e intelectual da mulher é inacreditável. É muito duro ser menosprezada e ser tratada como um ser inferior. Poucas agüentam, a maioria sai daqui decepcionada.

Leia estas 4 postagens caso você seja mulher e esteja pensando em vir para a Índia a trabalho:

31 de Março de 2006 - Relato da Roberta – FIM

17 de Abril de 2006 - Desabafo

04 de maio de 2006 - Depoimento da Karen

13 de Outubro de 2006 - Paula – 6 meses de Índia

Incredible Índia! (slogan do governo indiano)

Om Shanti

Participe da comunidade do Orkut: Eu Leio Indiagestão http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=28280809