28 de abril de 2007

Torre do Silêncio


Nâmaskar

Uma próspera minoria, assim é conhecida a comunidade parsi aqui na Índia. Apesar de serem poucos em número, somente 70 mil parsis para um país com mais de 1 bilhão de habitantes, eles estão muito bem financeiramente.

Os controladores do grupo Tata, a maior empresa indiana, são membros da minoria religiosa que seguem os ensinamentos de Zoroastro (ou Zaratustra).

O Zoroastrismo foi a religião predominante na Pérsia até a conquista muçulmana. Após os muçulmanos tomarem o poder, eles começaram a matar os parsis e qualquer um que negasse a se converter ao islamismo; assim, os parsis fugiram no século X para escapar às perseguições islâmicas e vieram para a Índia.

Quando os ingleses se instalaram na Índia, no século XVII, os parsis se mostraram mais receptivos à influência européia do que os hindus, talvez por terem outro tipo de cultura e estudo. A partir do século XIX, os parsis investiram na indústria e no comércio. Em 1850, já tinham feito fortuna na indústria pesada, especialmente com ferrovias e estaleiros.

Os seguidores de Zaratustra (Zoroastro) fazem seus cultos religiosos nos Templos do Fogo (Fire Temples), onde o fogo tem um significado importante para eles.

Em 2004 eu fui visitar o único Templo do Fogo que temos aqui em Delhi. Fui inicialmente pedir permissão a senhora responsável, que foi bastante gentil permitindo minha visita porém proibindo a entrada no templo propriamente dito, portanto pude somente tirar fotos do lado externo do templo e a uma distância de cerca de 8 metros. .

Um senhor me acompanhou o tempo todo durante a visita e chamou minha atenção para o ‘fogo eterno’ que queima no quintal, na parte de trás do templo. Ele explicou que aquela pequena chama é mantida acesa 365 dias no ano 24 horas por dia. Outra coisa que ele mostrou é a construção em forma de uma grande tocha que fica em cima do templo, no telhado. Uma vez por ano abre-se a construção em formato de tocha e uma labareda de fogo é acesa em celebração a uma data muito especial para os zoroastristas que ele não me informou qual era.

Provavelmente além dos Templos do Fogo, a maior peculiaridade dos seguidores de Zoroastro, seja seu costume quanto a morte.

Ao invés de enterrarem seus mortos como fazem os muçulmanos e cristãos, ou de crema-los como fazem os hindus, budistas e jainistas, os parsis (zoroastristas) deixam os corpos de seus falecidos na Torres do Silêncio (Tower of Silence) para que sejam devorados por abutres e urubus.

A Torre do Silêncio é um lugar proibido para mulheres e não parsis e é muito difícil obter material visual dessas torres. As fotos que eu tenho são antigas da torre do silêncio de Mumbai, portanto aqui vão algumas explicações:

O ideal é que hajam 3 torres, uma para homens, uma para mulheres e outra para crianças. No geral isso não existe e portanto 1 única torre é dividida em 3 partes uma para cada grupo.

As torres são construções de alvenaria em formato circular com um buraco no meio.

Quando uma pessoa morre ela é colocada nua sobre a laje da torre e deixada lá por vários dias. Os abutres e urubus entram em ação alimentando-se do corpo da pessoa. Após algumas semanas um funcionário da torre varre para o longo buraco que fica no meio desta, os ossos do falecido.

Mas ultimamente vem ocorrendo um grande problema por aqui. O número de abutres está diminuindo drasticamente e já não há mais tantos abutres quanto antigamente para consumirem rapidamente os corpos.

FOTO: Torre do Silêncio em Mumbai, India. Observe os abutres no topo da torre. Esta foto é antiga, não consegui nenhuma foto recente.

Assista:

http://youtube.com/watch?v=B2GjRiu2fpo

Visita a um Templo do Fogo em Mumbai.

Não foi permitido filmar dentro do templo.

Incredible India! (slogan do governo indiano)

OM Shanti