21 de janeiro de 2008

Autobiografia de Benazir Bhutto - Parte 6




Namaskar

Continuando com a autobiografia de Benazir Bhutto, Daughter of the East, An Autobiography.

Ainda na prisão central de Karachi, Benazir conseguiu permissão para ir ao casamento de sua irmã.

Os músicos que iriam tocar no casamento acabaram desistindo pois usar microfones e alto-falantes era proibido pelo regime militar e eles não quiseram se arriscar.

Após o casamento da irmã, Benazir foi levada novamente para a prisão.

Apesar da Anistia Internacional denunciar as barbaridades que aconteciam no Paquistão com os presos políticos onde pimentas verdes eram introduzidas no anus dos prisioneiros e outras coisas horríveis, os Estados Unidos e os países ocidentais resolveram apoiar a ditadura militar do general Zia pois a Rússia havia invadido o Afeganistão e o Paquistão se dispôs a ajudar os EUA a combater os Russos. Não podemos esquecer que na década de 80 havia a “Guerra Fria” onde EUA e URSS viviam medindo forcas.

A mãe de Benazir não estava sofrendo de tuberculose mas sim de câncer no pulmão. Como em 1982 ainda não havia tomografia e nem tratamento para câncer no Paquistão, ela solicitou ao regime militar que a permitisse ir se tratar na Alemanha Ocidental. Após meses de espera, finalmente foi permitido que ela fosse para a Alemanha se tratar. Nusrat tratou-se e seu câncer foi controlado. Atualmente ela esta muito idosa e sofre de Alzheimer, ela nem se lembra mais que foi a esposa do primeiro-ministro do Paquistão, a mãe de Benazir, e a líder do partido PPP, muito menos que fazia discursos e era uma mulher a frente de seu tempo.

A Benazir teve a quem puxar. Nusrat, sua mãe, era uma mulher estudada, dirigia o próprio carro, não usava burqa e era uma militante e ativista política. Ela enfrentou o enforcamento do marido e o assassinato dos 2 filhos. Fico feliz por ela estar com Alzheimer, assim ela não fica sabendo que sua amada filha Benazir também foi assassinada. Quanto sofrimento para uma só mulher! Como o Paquistão eh ruim para com suas mulheres!!!!

Fica aqui minha homenagem a Nusrat Bhutto, a corajosa e destemida mãe da Benazir Bhutto.

***

A lei marcial nº 54 de setembro de 1982 era retroativa ate 5 de julho de 1977 quando o general Zia deu o golpe militar e decretava que “The death penalty was now authorised for anyone committing an offence liable to cause insecurity, fear or despondency among the public.” Ou seja, qualquer pessoa engajada politicamente poderia sofrer pena de morte.

Benazir continuava presa e agora alem da dor de ouvido sofria também de dor na gengiva e nas juntas.

O ministro de informações escreveu para o jornal Guardian dizendo que: “due to heavy smoking, she (Benazir) developed gum troubles for which she was treated by an eminent dentist of her choice.” Mas a verdade eh que nenhum medico ou dentista era da escolha de Benazir e ela simplesmente não fumava!

Os anos foram se passando, Benazir estava já no seu sétimo ano de prisão, só que agora ela era mantida presa em sua própria casa (prisão domiciliar) porem, ainda em confinamento (ela não podia receber visitas e seu telefone foi cortado assim como a televisão). Seus dois irmãos haviam se casado e Benazir já era tia, mas ela não conhecia os sobrinhos.

O governo tentou incrimina-la e todo custo, os militares queriam conecta-la ao grupo Afegao Al-Zulfikar e aos ataques terroristas e seqüestro do avião do PIA, mas não conseguiram e repentinamente, sem aviso prévio, libertaram Benazir no dia 10 de janeiro de 1984 e colocaram-na em um avião da Swiss Air com destino a Suíça. Benazir teve pouquíssimo tempo para fazer as malas e por seu gato no carregador, pois jamais ela teria coragem de deixar seu gatinho para trás.

“Yesterday I had been a prisoner. Today I was free, with my mother and sister. We were together. We were alive.” Assim que chegou em Geneva seus dois irmãos telefonaram para Benazir e marcaram de se encontrar no dia seguinte. Mir, (irmão de Benazir) levou sua filhinha de 18 meses para conhecer a tia. Benazir mal podia acreditar que estava livre e novamente revendo e falando com seu irmão!

Porem, seu ouvido continuava doendo muito e ela só podia ouvir com um ouvido pois o ouvido problemático estava surdo. Assim, Benazir e a irmã resolveram ir para Londres, para que Benazir pudesse consultar um especialista.

Após tantos anos presa em solitária, Benazir desenvolveu Sindrome do Pânico e seu coração disparava, sua respiração acelerava e suas mãos suavam toda vez que tinha de sair do pequeno apartamento em Londres para ir ao medico ou a qualquer outro lugar. “Adjusting to real life was very difficult.”

Benazir teve que fazer uma microcirurgia que demorou 5 horas em seu ouvido esquerdo. Por 6 semanas ela teve que ficar deitada podendo levantar no máximo por 10 minutos por dia somente para ir ao banheiro. Se ficasse mais do que 10 minutos sentada tinha fortes dores de cabeça, tontura e ânsia de vomito. Após 6 semanas seu cirurgião lhe informou que dentro de 9 meses a 1 ano, teria que fazer mais uma cirurgia.

Fotos: Nusrat Bhutto (mae da Benazir)

Om Shanti Om