25 de janeiro de 2008

Autobiografia de Benazir Bhutto - Parte 10



Namaskar

Continuando com a autobiografia de Benazir Bhutto, Daughter of the East, An Autobiography.

No dia 29 de maio de 1988 o ditador Zia dissolveu o parlamento, dispensou o primeiro-ministro que ele mesmo havia escolhido e convocou eleições. A escolha desta data foi suspeita pois 4 dias antes um jornal de Karachi anunciou que Benazir estava gravida. Zia pensou que Benazir gravida não disputaria as eleições.

Em 15 de junho de 1988 Zia instalou o Shariah, ou lei islâmica como sendo a lei suprema do país. Qualquer cidadão poderia declarar qualquer lei anterior como ‘não islâmica’ e ir ao tribunal superior. Se os juizes achassem a lei contraria aos preceitos islâmicos a lei seria removida. Cada vez mais Zia procurava agradar aos fundamentalistas islâmicos em troca de apoio político.

As eleições que Zia havia convocado em maio, não se realizariam em agosto conforme a própria lei que Zia havia criado anteriormente. Zia havia decidido que as eleições seriam no dia 16 de novembro, 3 meses mais tarde e “coincidentemente” quando Benazir estivesse em estado adiantado de gravidez.

Mas no dia 17 de agosto o avião em que o ditador Zia estava viajando sofreu um acidente e ele morreu juntamente com os outros 30 passageiros incluindo diversos militares e o embaixador americano no Paquistão, Arnold Raphel. “After eleven years of torture and harassment, we were free. Zia could never hurt us again.” (Depois de 11 anos de tortura e assedio, nós estávamos livres. Zia não poderia mais nos machucar.”

Fico imaginando o alivio e a felicidade da população civil com a noticia da morte inesperada do malvado ditador Zia.

No dia 5 de outubro o tribunal superior decretou que as eleições agora poderiam ser disputadas por partidos políticos e não somente por indivíduos como Zia havia ordenado anteriormente.

O PPP partido da Benazir Bhutto ganhou as eleições com grande vantagem sobre os adversários e no dia 2 de dezembro de 1988, Benazir Bhutto assumiu o cargo de primeira-ministra do Paquistão. Ela foi a primeira mulher a ser primeira-ministra em um país de maioria muçulmana!

Aos 35 anos de idade, Benazir Bhutto tornou-se também a mais nova primeira-ministra do mundo!!

Enquanto a vida política de Benazir deslanchava, ela teve seu primeiro bebe, um menino, a quem ela deu o nome de Bilawal.

Um ritual islâmico que Benazir narra no livro e que eu achei interessante eh o fato de jogarem sal na parte de trás da cabeça da futura mamãe sem que ela saiba. Se a futura mamãe inconscientemente puser a mão na boca (nos lábios), isso significa que ela terá um menino. Mas se tocar a testa ou os olhos, ela terá uma menina. A prima de Benazir jogou sal na cabeça de Benazir que inconscientemente tocou os lábios.

Ainda em dezembro de 1988, quando Benazir assumiu o cargo de primeira-ministra do Paquistão, ela teve uma reunião com Rajiv Gandhi e “sua bela esposa Sônia” em Islamabad. Juntos eles assinaram o primeiro acordo nuclear do sul da Ásia, o acordo referia-se a não atacarem as instalações nucleares um do outro em caso de guerra.

Benazir lamentou muito o trágico assassinato de Rajiv Gandhi pois eles se entendiam bem politicamente e após o assassinato dele as relações entre Índia e Paquistão se deterioraram.

Para mim eh muito estranho a pratica comum que paquistaneses, indianos, nepaleses etc. tem de assassinarem seus lideres políticos. Claro que isso acontece em todas as partes do mundo, mas a freqüência com que isso acontece aqui no sul da Ásia eh algo inacreditável! O próprio “acidente” aéreo do general Zia ate hoje permanece envolto em mistério e não foi explicado. Aqui no sul da Ásia ninguém escapa, nem mesmo Mahatma Gandhi escapou, o que dirá os outros!!!!!!

Foto: General Zia e Benazir com seu primeiro bebe, Bilawal

Estamos chegando ao final do livro, na proxima semana termina.

Om Shanti