29 de janeiro de 2008

Autobiografia de Benazir Bhutto - Parte Final



Namaskar

Terminando hoje a autobiografia de Benazir Bhutto, Daughter of the East, An Autobiography.

Após 3 anos do golpe que tirou Benazir Bhutto do poder ela estava de volta mais uma vez (1993) como primeira-ministra do Paquistão!

Já no primeiro ano do novo mandato seu governo atraiu 20 bilhões de dólares em investimentos estrangeiros que alem de ajudar muito a economia decadente do Paquistão, abriu muitos novos empregos.

Novamente Benazir investiu na melhoria de condições de vida das mulheres e a mortalidade infantil foi reduzida.

O sal de cozinha foi iodado mas os fundamentalistas espalharam a falsa estória de quem comecem sal iodado ficaria estéril e os homens islâmicos entraram em pânico. Sempre muitos boatos foram espalhados como forma de sabotar o governo de Benazir Bhutto.

Benazir sediou a Olimpíada de Mulheres Muçulmanas (Muslim Women’s Olympics).

Assinou a convenção pela eliminação da discriminação contra a mulher.

Designou mulheres juizes pela primeira vez para os Tribunais Superiores.

Tentou vacinar as crianças contra a poliomielite pois 1 em cada 5 crianças com pólio no mundo eram/são do Paquistão.

Benazir alertou o então primeiro-ministro da Inglaterra, John Major, sobre o fato dos fundamentalistas estarem ensinando terrorismo nas madrassas da Inglaterra, mas naquela época o terrorismo não era visto como algo serio e palpável e ninguém deu-lhe ouvidos.

Em seu segundo mandato como primeira-ministra, o atual presidente do Paquistão general Pervez Musharraf, era o diretor de operações militares e eles se conheceram pessoalmente nesta época.

Benazir já havia perdido o pai assassinado por ordem do ditador Zia ul-Haq. Seu irmão Shah Nawaz morreu envenenado na Franca e em 20 de setembro de 1996, seu outro irmão, Murtaza foi morto pela policia na cidade de Karachi, Paquistão. Todos os homens da família Bhutto haviam sido assassinados; só restava Benazir, sua mãe e sua irmã.

Nusrat Bhutto, mãe de Benazir, que já sofria de Alzheimer perdeu completamente a capacidade mental após a notícia da morte de seu filho, Murtaza.

Após 2 meses de ter perdido seu ultimo irmão, o presidente do Paquistão destituiu Benazir Bhutto de seu cargo de primeira-ministra e colocou seu marido na prisão acusando-o de ter matado Murtaza, o irmão de Benazir!!!

O marido de Benazir ficou 8 anos na prisão, mas nunca nada foi provado contra ele e após 8 anos ele foi posto em liberdade. Esta foi mais uma manobra para humilhar e desmoralizar Benazir Bhutto.

Em abril de 1999 foi dada ordem de prisão a Benazir Bhutto e ela resolveu mudar-se com a família para Dubai. Ela teve que se impor um auto-exilio pois se ficasse no Paquistão iria novamente presa.

Benazir termina seu livro autobiografico com a seguinte frase: “I recall the words of Dr Martin Luther King: ‘Our lives begin to end the day we remain silent on things that matter.’ With my faith in God, I put my fate in the hands of my people.” (Eu relembro as palavras do Dr. Martin Luther King: ‘Nossas vidas terminam no dia em que ficamos calados sobre coisas importantes.’ Com minha fé em Deus, eu coloco meu destino nas mãos do meu povo.”

Eu concordo com Benazir e por isso mesmo o Indi(a)gestão continua e continuará sendo um blog que fala a verdade e que apresenta fatos da cultura indiana que ainda não consigo digerir, e que para mim causam uma verdadeira – Indi(a)gestão.

O restante da vida de Benazir Bhutto nós todos já sabemos. Ela retornou ao Paquistão em outubro de 2007 e no mesmo dia sofreu um atentado a bomba mas escapou ilesa.

Dois meses depois, em 27 de dezembro de 2007, assassinaram Benazir Bhutto.


Fotos: Murtaza, irmão de Benazir. Explosão que matou Benazir.

OM Shanti