17 de janeiro de 2008

Autobiografia de Benazir Bhutto - Parte 3







Namaskar

Continuando com a autobiografia de Benazir Bhutto, Daughter of the East, An Autobiography.

No dia 28 de junho de 1972 na cidade de Simla na Índia, Zulfikar Ali Bhutto presidente do Paquistão teve uma reunião com Indira Gandhi, a então primeira-ministra indiana. Zulfikar Ali Bhutto resolveu levar junto consigo sua filha Benazir Bhutto, como você pode ver nas fotografias que coloquei aqui nesta postagem de hoje. Veja que as fotos mostram sempre a jovem Benazir, Indira Gandhi e Zulfikar Ali Bhutto.

“How tiny she was, much smaller than she seemed in the countless photographs I had seen of her. An how elegant, even in the raincoat she wore over her sari under the threatening skies” Benazir se surpreendeu com o tamanho petit de Indira Gandhi e com sua elegancia. “I had followed her political career closely and admired her perseverance.” Benazir, assim como toda mulher culta, era uma admiradora de Indira Gandhi.

Após cinco dias de reunião em Simla, Zulfikar Ali Bhutto disse a Benazir para fazer as malas. Benazir perguntou: “Without an agreement?” (sem um acordo?) ao que Zulfikar Ali Bhutto respondeu: “I’d rather go back to Pakistan with no agreement than with one imposed by India.” Zulfikar Ali Bhutto já havia saído anteriormente da reunião na ONU e agora estava fazendo o mesmo na reunião com a Índia. No final, houve finalmente um acordo que ficou conhecido como o Simla Accord assinado por Zulfikar Ali Bhutto, presidente do Paquistão e Indira Gandhi, a primeira-ministra da Índia; um passo importante para a estabilidade e paz do subcontinente asiático.

Em 1973 sob a tutela de Zulfikar Ali Bhutto o Paquistão finalmente escreveu uma constituição democrática onde discriminação por raça, sexo e religião era proibida. E em 14 de agosto de 1973 o pai de Benazir assumiu o cargo de primeiro-ministro.

Benazir estava terminando sua faculdade em Cambridge e queria continuar os estudos na América, mas seu pai insistiu que ela fosse estudar em Oxford, Inglaterra, como ele mesmo havia feito anos antes.

Benazir seguiu o conselho do pai e prosseguiu os estudos na Oxford University na Inglaterra onde fez pós-graduação em 1976. Ela acabou surpreendendo a todos inclusive o próprio pai, Zulfikar Ali Bhutto, ao vencer o cargo de presidente da respeitada Oxford Union, um reduto masculino que ha apenas 10 anos atras havia permitido a entrada de membros do sexo feminino.

Durante as ferias Benazir voltou ao Paquistão e durante o aniversario de seu pai em 5 de janeiro de 1977 conheceu e cumprimentou o general Zia ul-Haq, o homem que 6 meses mais tarde daria um golpe militar, tomaria o poder e mandaria matar Zulfikar Ali Bhutto. “...on January 5, 1977, I came face to face with the man who would so drastically change all our lives.”

No dia 25 de junho os filhos de Zulfikar Ali Bhutto, então primeiro-ministro do Paquistão, voltaram para casa para passar as ferias “It was the last time ou family would ever be together again.” Foi a ultima vez que toda família estava reunida, pois o golpe militar destruiu a família dos Bhutto.

O Golpe

No dia 5 de julho de 1977 a 1:45 da madrugada a mãe de Benazir entrou correndo no quarto e a acordou dizendo: “Wake up! Get dressed! Hurry! The Army’s taken over!”

O irônico eh que o general Zia dois dias antes havia ido falar para Zulfikar Ali Bhutto que o exercito seguiria suas ordens e lhe seria fiel. E foi o próprio Zulfikar Ali Bhutto que escolheu o general Zia como seu chefe de staff do exercito por confiar nele e em sua capacidade como general do exercito. Podemos dizer que Zulfikar Ali Bhutto criou uma cobra que acabou por pica-lo e mata-lo.

Zulfikar Ali Bhutto tentar fazer algumas chamadas telefônicas mas seu telefone eh cortado. Mir, um dos irmãos de Benazir diz: “We must resist”, mas o pai que já havia presenciado anteriormente outro golpe militar retruca: “Never resist a military coup. The generals want us dead. We must give them no pretext to justify our murders.”

Os ministros e outros políticos são presos e espancados. Zulfikar Ali Bhutto também eh levado preso pelos militares que invadem sua casa sem cerimonias.

A Constituição de 1973 foi suspensa e imposta lei marcial. Os cidadãos não tem mais direitos, só tem deveres!

Lei Marcial nº6: Quem for pego saqueando ou roubando “maximum punishment: amputation of hand.” A amputação da mão foi uma das muitas leis marciais impostas pelo general Zia.

O jornal da família Bhutto, o Musawaat http://dailymusawaat.com/ era o único que continuava a publicar noticias sobre o primeiro-ministro deposto Zulfikar Ali Bhutto; todos os outros jornais foram proibidos de mencionar o nome Bhutto ou qualquer outra noticia referente a família Bhutto. O governo militar de Zia queria que a população esquece por completo o primeiro-ministro Zulfikar Ali Bhutto.

Enquanto seu pai estava preso, Benazir fazia de tudo para poder solta-lo da prisão e para isso contratou os melhores advogados. Sua mãe, Nusrat, assumiu o controle do PPP, o partido político criado por seu pai anos atras. Ambas desafiavam as leis marciais e discursavam em publico incitando o publico a exigir a libertação de Zulfikar Ali Bhutto.

Benazir Bhutto foi presa pela primeira vez no dia 29 de setembro de 1977, depois disso ela foi presa diversas vezes. Em 1978 o ouvido de Benazir começou a doer muito, mas ela estava presa e o medico do governo deu-lhe somente analgésicos.

A ditadura militar não tinha nada de concreto para acusar Zulfikar Ali Bhutto e assim o acusou com mais de 60 pequenos delitos que Benazir juntamente com os advogados venceram cada um deles no tribunal.

Em desespero, o governo militar acusou Zulfikar Ali Bhutto de conspiração em um caso de assassinato do qual ele não tinha a menor idéia e nem participação, que havia sido cometido anos antes. Os militares queriam matar Zulfikar Ali Bhutto de qualquer forma e precisavam de um alibi para faze-lo. Assim sendo, Zulfikar Ali Bhutto foi julgado, condenado e assassinado a revelia.

Muitos políticos e militantes foram barbaramente torturados e alguns foram mortos. O livro descreve as mais horrendas formas de torturas usadas pelo exercito paquistanês. Mulheres com seus bebes de colo foram presas e surradas inclusive a mãe de Benazir.

Quando estava próximo dos militares anunciarem sua decisão de matar o primeiro-ministro Zulfikar Ali Bhutto, por cautela eles resolveram prender todas as pessoas que pudessem causar-lhes problema e protestar contra o assassinato de Zulfikar Ali Bhutto. 80 mil pessoas foram presas no Punjab, 30 mil na província da fronteira e 60 mil em Sindh.

O jóquei clube, estádios de esportes e qualquer outra área de grande porte foram convertidos em prisão a céu aberto para poder colocar tantos “presos políticos”.

A forma mais comum de punição para qualquer crime era chicotada. Pintava-se nas costas das vitimas o numero de chicotadas que ela deveria receber. No livro ha fotos das pessoas recebendo chicotadas em plena praca publica!! As fotos do livro da Benazir são bastante ilustrativas e incisivas. O livro Daughter of the East eh excelente e deveria ser traduzido para diversas linguas para que as mulheres do mundo pudessem ler e se inspirar nele.

Fotos: Benazir, o pai Zulfikar e Indira Gandhi.

Continua amanha...

Om Shanti Om