6 de fevereiro de 2008

Depoimento da Martha

Namaskar



Hoje temos o depoimento da Martha que
mora
em Calcutá, e que já morou em
Mumbai e acaba de ir conhecer Pondicherry 
e Auroville.
 
 
Oi Sandra,
 
Quando meu marido recebeu a proposta de trabalho 
de uma empresa daqui, eu comecei a acompanhar 
as noticias do INDIAGESTAO e aprendi muito sobre 
os hábitos, religião, política, de como devemos nos 
comportar, curiosidades... enfim, "tomei um banho 
de informações sobre a Índia". 
Isso me ajudou bastante e até hoje me ajuda. 
 
No inicio, eu não gostava do nome do, achava um 
pouco "pejorativo", mas agora que moro aqui eu 
compreendo melhor a razão do nome. Agora estou 
tendo a oportunidade de conhecer melhor a proposta 
desse maravilhoso blog.
 
Minha primeira experiência de viver como indianos, 
foi quando morei em Mumbai e fazia um curso de 
Yoga no YOGENDRA INSTITUTE, em Sta. Cruz. 
Todos os dias, eu saia cedo de casa pegava um 
riquixá ou ônibus para ir até a estação de trem 
e depois mais uns 15 minutos de trem lotado até 
o instituto. 
 
Existem vagões só para mulheres, alem de 
primeira classe "for ladies", mas as vezes era 
impossível colocar o pé no chão de tão cheio 
que é. Foi uma experiência interessante 
participar de rotina dos indianos, transito louco 
e barulhento, as vezes engarrafado por causa 
de vacas andando pela rua lentamente, separei 
briga de mulheres dentro do trem, viajei pendurada 
na porta como elas, via pessoas (crianças e adultos) 
usando a estrada de ferro como banheiro em plena 
luz do dia, mulheres catando piolho da outra...
coisas incríveis. 
 
Mas também conheci e vivi na parte nobre de 
Mumbai, onde os artistas moram e freqüentam, bairros,
restaurantes e  lojas bem chiques, estilo de 
vida de americano. Minha professora (brasileira)  
de Yoga e inglês, Karen, morava em Bhandra e 
com ela aprendi muita coisa.
 
Ela foi e é uma pessoa especial que cruzou no 
meu caminho enquanto morei em Mumbai. 
Infelizmente foi por pouco tempo pois ela foi 
para os EUA.
 
Agora estou morando em Calcutá.
 
Aqui tem um estilo de vida mais devagar, 
apesar do transito intenso, flui  melhor. A bicicleta 
aqui é um transporte que serve para tudo que você 
possa imaginar, carrega pessoas, botijões de gás, 
mobílias, galões de água, material de 
construção,... haja perna para pedalar quilômetros 
com peso atras, tudo bem lentamente. 
 
O povo pobre vive em situações bem precárias 
mas não demonstram tristeza, inveja, estão sempre 
fazendo festas ou batendo papo nas ruas e casas. 
Já o povo rico daqui vive como um LORD, parece 
até que são ingleses. Um jeito britânico de ser e 
de viver, com direito a nariz empinado.
 
Estou fazendo um curso de inglês no Ramakrishna 
Institute (dica da Sandra do INDIAGESTAO), 
alias neste Instituto tem curso de varias línguas, 
inclusive de português. Sou a única estrangeira 
da turma de 50 alunos, o restante são todos indianos. 
 
Parece escola militar, quando a professora entra na 
sala, todos os alunos se levantam e dizem: "Good 
morning Madame" e só podemos sentar após uma 
mensagem lida por todos nos. Para fazer qualquer 
pergunta ou tirar duvidas, temos que ficar de pé até 
que a professora autorize o aluno a sentar. Uma 
disciplina que eu não estava acostumada, mas estou 
gostando. Meu objetivo é aprender inglês fluente e 
acho que esse é o caminho para eu me comunicar 
com o mundo.
 
Ainda não fiz turismo pela Índia, nem é esse meu 
propósito maior. Mas aproveitei uma viagem de 
trabalho do meu marido e fui para Chennai com a 
intenção de conhecer Pondicherry e Auroville 
(2h de carro). E para minha surpresa, o lugar é 
maravilhoso. As ruas e praias são limpas, as estradas 
são perfeitas, melhor que muitas estradas de países 
que já visitei, e tem um estilo bem europeu misturado 
com o nordeste do Brasil, um pouco de Búzios. Enfim, 
totalmente diferente de tudo que já vi por aqui.
 
Me realizei completamente quando fui ao Sri Aurobindo 
Ashram, um lugar mágico, tem uma energia especial. 
Nada devocional, mas senti uma vibração indescritível, 
um sentimento de raro prazer, eu diria até, de 
êxtase. Um lugar de paz, contemplação, admiração...
E como se não bastasse tudo isso, fui conhecer Auroville, 
bem próximo do Ashram. 
 
No caminho vi resorts interessantes, bangalôs, clinicas 
de tratamento ayurvedico... mas quando vi as 
comunidades e o objetivo desse lugar, Fiquei encantada. 
Parecia que estava em outro planeta, um lugar futurista. 
E como se não bastasse tudo isso, ainda tem o 
principal, uma "NAVE ESPIRITUAL" chamada 
MATRI MANDRIR, (onde as pessoas meditam 
diariamente) eu digo "NAVE", porque o formato é 
parecido, é um globo dourado e por dentro tem varias 
colunas ao redor e um puríssimo cristal no centro. 
Mas infelizmente não estava no horário de visitação 
e não pude entrar. Voltarei lá sempre que for possível. 
É imperdoável. O que antes só estava na minha mente 
e que eu achava uma utopia, eu pude constatar que é 
verdadeiro, as coisas funcionam muito bem, um lugar 
totalmente  dedicado ao despertar de uma nova 
consciência em que todos tem acesso (crianças, jovens, 
idosos, ricos, pobres... cada um cuidando do seu espaço.
 
Cada dia que passa, eu sinto que não sairei desse pais tão 
cedo. Todos os lugares que conheço, fico mais 
apaixonada, me sentindo parte dessa civilização. Mesmo 
com problemas, choques culturais, devoções, dialetos, 
religiões, a Índia consegue atrair as pessoas que vem 
com o propósito de viver sem expectativa, sem 
julgamento, e é isso que move o Universo, e não o 
capitalismo selvagem, a guerra, o esforço pela 
sobrevivência.
 
Sei que eu não precisava vir de tão longe para 
entender esse processo maravilhoso que é viver. 
Eu sempre acreditei nas possibilidades que o 
Universo nos oferece. Cada um move sua própria 
energia. E dentro dessa grande 
"NAVE" que é o nosso planeta, podemos nos unir e 
nos transformar... E para isso acontecer é muito 
importante saber o que realmente desejamos. Pergunte 
ao Universo, ao seu coração, a Deus: "O QUE EU 
PRECISO PARA SER FELIZ? "SERÁ QUE EU 
PRECISO DISSO OU DAQUILO PARA VIVER? 
"O QUE SERÁ QUE ME DÁ PRAZER EM VIVER?
 
A resposta virá através de uma pessoa, de um livro, 
um filme, as vezes de uma perda, um sofrimento, 
uma doença... você receberá a resposta para Essas 
estas perguntas, o importante é estar atento. 
 
As vezes, não percebemos que a felicidade está 
diante do nosso "nariz", infelizmente estamos ocupados 
em olhar para outro e não para nos mesmo. 
 
Por isso "olhe com olhos de águia" para tudo que 
acontece a sua volta e principalmente, dentro de você.
E SEJA FELIZ ONDE QUER QUE VOCE ESTEJA.
 
BJOS
MARTHA