24 de março de 2008

Ibira na India - Parte 10

(Lotus Temple, da religiao Baha'i, Nova Delhi)
(Dilli Haat, feira de artesanato, Nova Delhi)

(Eu, comendo sanduiche vegetariano do Mc Donald's)

No meu ultimo relato de viagem eu havia acabado de chegar em Nova Delhi, no dia 17 de fevereiro, num domingo de manha. A primeira diferenca que notei, ainda na estacao, foi em relacao a temperatura – estava bem mais frio que no Maharashtra, mil quilometros ao sul, em direcao ao equador. O frio mesmo eu senti quando fui pegar o autoriquixa para a casa da Sandra. Para quem nao conhece, os riquixas sao abertos, e o vento entra com tudo... mas enfim, frios de lado, eu me impressionei com Delhi nos poucos quilometros entre a estacao de trem e a casa da Sandra. Notei logo nos primeiros metros que a capital da India nao pode ser comparada com o resto do pais; ou ao menos com o tanto que eu tinha visto e vivido ate entao. Ruas largas, calcadas, sinalizacoes, parques floridos, pessoas (homens, mulheres e criancas) vestidos a maneira ocidental, carros modernos, metro e obras por todos os lados... Delhi era muito diferente do que eu tinha visto ate entao...

Cheguei logo na casa da Sandra, passando um pouco de frio... ainda de manha, com um pouco de vergonha, contei que tinha tido minha primeira (in)diarreia e que precisava dar um pulinho no banheiro, pois no trem, agora conto, segurei o tempo todo... mas por sorte ja estava passando.

Logo no primeiro dia eles me levaram no Dilli Haat, uma especie de feira de artesanato muito bem organizada, num lugar fechado, com produtos e comidas de toda a India. La eu vi indianos ricos que nem olhavam pra mim, eu vi turistas de monte, grupos de amigos mistos, com garotos e garotas, uma India ocidentalizada que eu ainda nao tinha visto... nao me sentia um ET, pela primeira vez na India. Tambem logo na primeira semana fiz uma coisa que jamais esperava fazer, mas que quando soube que existia eu nao pensei duas vezes: comi o sanduiche vegetariano do Mc Donald's da India.

Em Delhi as minhas experiencias nao aconteceram com tanta intensidade quanto aconteciam antes de chegar na capital. Tive mais tempo ocioso, visitei os locais com calma, pude ir e voltar aos mesmos lugares... no entanto, embora eu tenha tido menos intensidade de experiencias, acabei tendo a maravilhosa oportunidade de viver a cidade com calma, podendo conhece-la, ao mesmo tempo que tambem acabei conhecendo os indianos com muito mais profundidade. O resultado disso eh que em Delhi acabei ficando malandro... finalmente! ;)

Embora minhas experiencias anteriores tenham sido riquissimas para mim, eu nao estava fazendo praticamente nada sozinho; sempre tinha um amigo la para fazer as coisas por mim. Em Delhi nao, embora a Sandra tenha me acompanhado em alguns lugares, houve outros que fui sozinho, me virei sozinho, e acabei, finalmente, aprendendo como lidar com os indianos na maneira mais apropriada. Logo aprendi como barganhar bem o preco dos autoriquixas, dos produtos nas feirinhas, de tudo... um mes passado aqui na capital, posso dizer que devo ter conseguido repor o dinheiro perdido naquele mal falado hotel de Mumbai que me enganou e cobrou quase 3000 rupias no meu primeiro dia de India... em situacoes extremamente engracadas, quando queria voltar pra casa, saindo de algum monumento, por exemplo, o primeiro motorista de riquixa que eu perguntava me cobrava 200 rupias, e eu na hora passava pro do lado, que cobrava 150, e depois pro outro, e pro outro, e pro outro, ate que conseguia o preco mais do que justo, de 50 ou 60 rupias, dependendo do caso. Pra voces terem uma ideia, 200 rupias sao 10 reais, enquanto que 50 sao 2,50 reais. E eu chamava todos de loucos quando me cobravam esses absurdos. Pior ainda eh que quando eu falo que eu sei que o preco justo eh 50 rupias e eles fazem uma cara de indignadissimos, de ofendidos, tentando ate assustar a gente, enquanto tudo nao passa de uma grande encenacao que eles fazem pra enganar. Mas eles nao me enganam mais.

Mas voltando a Delhi, muita coisa me impressionou por aqui. Essa cidade tem um numero imenso de monumentos, por todos os lados, em todos os cantos, de todas as epocas. Sao desde ruinas das sete Delhis que existiram desde 1190 ate a construcao de Nova Delhi, no seculo XX, passando por templos novos maravilhosos, como o Lotus Temple e o Swaminarayan Akshardam, e tambem por predios e monumentos do governo na parte planejada da Nova Delhi. Eu nao me cansei de visitar cada um desses lugares, e vou embora da capital sem ter visto ainda algumas dessas ruinas e alguns museus. Sao muitos, mas muitos lugares pra visitar, com muita historia em cada um deles.

Nesse depoimento de hoje preferi deixar as minhas impressoes de Nova Delhi. No meu proximo relato eu vou descrever um pouco melhor algumas outras experiencias que tive aqui na capital, algumas em parte relacionadas a vida indiana em si, outras relacionadas a modernidade dessa cidade e tambem do dia que fui a Agra.

Om Shanti Om