23 de agosto de 2008

Krishna: O Cristo dos Indianos

Repassando...

BHAGAVAN KRISHNA: O CRISTO DO ORIENTE


Paramahansa Yogananda

Krishna veio à terra muito mais cedo que Jesus Cristo -
mais ou menos três mil anos antes, conforme afirmam alguns eruditos - mas eles eram uno em espírito, ambos tendo atingido a Consciência Crística, ou unidade com a onipresença de Deus imanente de cada átomo da criação. Deste modo, eles podiam projetar suas consciências em cada ponto do cosmos, estando conscientes para ajudarem todos que estavam fisicamente longe deles. Mas além da grande concomitância espiritual demonstrada em suas vidas, havia entre eles também muitas similaridades pessoais.
Ambos nasceram de pais fervorosos à Deus. A mãe de Krishna e seu pai foram perseguidos por seu perverso tio, o rei Kansa, assim como o rei Herodes atormentou os pais de Jesus. Jesus foi comparado a um bom pastor de Deus; Krishna durante sua infância, escondendo-se de Kansa, cuidou de ovelhas. Jesus venceu Satanás; Krishna venceu o demônio Kaliya. Satanás e Kaliya representam o mal, ou a ignorância. Jesus parou uma tempestade no oceano e salvou o barco de seus discípulos; Krishna impediu seus devotos e seus respectivos rebanhos de afogarem-se numa terrível inundação, levantando o monte Gowardhan sobre eles, como um guarda-chuva.
Jesus era chamado "Rei dos Judeus", embora seu reino não fosse deste mundo; Krishna era tanto rei terreno como divino. O destino de ambos foi profetizado nas escrituras, e ambos foram mortos por grupos desorientados: Krishna foi ferido mortalmente por uma flecha de um caçador, e Jesus foi crucificado por aqueles que ignoravam sua divindade. Estes dois avatares - ambos orientais - são comumente reconhecidos no oriente e ocidente como supremas encarnações de Deus.


O Significado da Vida de Krishna Para o Homem Moderno
"O Senhor Krishna disse no Gita que o que o homem realmente precisa fazer para encontrar o reino dos Céus é renunciar aos frutos das ações. Deus envia ao homem esta vida circunstanciada com a fome e os desejos com que ele deve trabalhar. Sem o trabalho, a civilização humana estaria numa selva de doenças, fome e confusão. Se todas as pessoas do mundo abandonassem a civilização e fossem viver nas florestas, as florestas teriam que ser transformadas em cidades, além do mais os habitantes poderiam morrer pela falta de saneamento. De outro modo, também a civilização material é cheia de imperfeições e misérias. Que possível remédio poderia ser administrado?
A vida de Krishna demonstra em sua filosofia que não é necessário fugir das responsabilidades da vida material. O problema poderá ser resolvido trazendo Deus aqui aonde Ele nos colocou. Não importa qual seja nosso ambiente, pois na mente onde reside a comunhão com Deus, o Céu virá."
Para evitar as armadilhas dos dois extremos: o da renúncia ao mundo, ou o da sufocante vida material, o homem deveria treinar sua mente pela constante meditação, para que ele possa realizar as
atividades necessárias à sua vida diária e ainda permanecer interiormente na consciência de Deus. Todo homem e mulher deveria recordar que suas vidas mundanas podem ser liberadas das infinitas doenças físicas e mentais se eles adicionassem a meditação profunda em suas rotinas de vida. Uma vida balanceada na meditação e na atividade, sem apegos aos frutos destas ações, é o exemplo dado pela vida de Krishna.
A mensagem de Krishna no Bhagavad Gita
resiste como a melhor doutrina adaptada para nossa vida moderna, ocupada de muitas preocupações. Trabalhar sem a paz de Deus é o inferno. Trabalhar com a felicidade de Deus sempre murmurando na alma é levar um paraíso portátil dentro de você, onde quer que você for. Estar constantemente preocupado, mesmo em arredores agradáveis, é viver em um inferno; viver na paz sem limites do interior da alma, ainda que morando numa frágil cabana, é estar no real paraíso. Seja num palácio ou debaixo de uma árvore, nós devemos levar conosco sempre este céu interior.
Deste modo, independente de tudo o que as circunstâncias externas possam apresentar, nós podemos ter conosco sempre o céu interior da presença de Deus. O caminho equilibrado da ação correta e do desapego - no qual o devoto executa suas atividades enquanto interiormente abraça Deus - é a mensagem de Bhagavan Krishna. Esta é uma mensagem da mais elevada sabedoria e do mais profundo amor. Para segui-la sinceramente nós devemos estar realmente convencidos em nossos corações de que a felicidade em Deus é preferível aos prazeres dos sentidos.
(Livro: Man's Eternal Quest)

Nossa suprema tarefa é buscar Deus primeiro. No Gita, Bhagavan Krishna fala do apelo do Senhor aos Seus devotos: "Fixe em mim tua mente, sejas tu meu devoto, e com incessante adoração reverencia-Me respeitosamente. Tendo portanto, unido Ti mesmo à Mim como o Teu mais elevado Ideal, Tu serás Meu"
(Bhagavad-Gita IX:34)

Feliz Janmashtami!


Om Shanti