18 de abril de 2009

Judeus na India


Namaskar


Gostaria de repassar para você um texto interessante dando um rápido resumo sobre os judeus na Índia. Vale muito a pena ler!


Os judeus na Índia


A Índia é tida como o único país no qual os Judeus viveram sem serem discriminados ou perseguidos ao longo de sua estada de cerca de 2000 anos; a lenda estabelece que os judeus viajaram de Canaan (Israel) até Bharat (Índia) em nau, de acordo com a animação no seguinte website:

http://www.beneisraelheritage.com/


Há quatro comunidades distintas de judeus na Índia, à saber,:

‘Bene Israel’

‘Baghdadi’

‘Judeus de Kochi’

‘Judeus de Mizoram e Manipur’


Os Bene Israel desembarcaram perto da atual cidade de Mumbai; adotaram sobrenomes semelhantes aos dos nativos Hindus da ‘costa Konkan’, a costa que vai de Mumbai passando pela antiga colônia Portuguesa de Goa (1510-1961) e um pouco além, até a cidade costeira de Mangalore, na fronteira entre os estados de Karnataka e Kerala (veja o mapa):


Judeus na India.


Por conseguinte, os sobrenomes desses judeus ‘Bene Israel’ terminam com ‘kar’, da mesma maneira que os Armênios utilizam ‘ian ‘(Balaban-ian, Klendj- Ian, Balass-ian etc).

Vale salientar que os Bene Israel adotaram a língua Marathi, do estado de Maharashtra, cuja capital é Mumbai.


Saindo de Goa, indo ao sul uns 500 km seguindo a costa, fica a cidade portuária de Cochin, no estado de Kerala; essa cidade tem um história rica, com príncipes muçulmanos, Portugueses e o marajá reinante disputando o controle do lugar, de olho no mercado de especiarias que eram exportados para os 4 cantos do mundo.


Sinagoga em Cochin.


Os Judeus foram para a cidade do Cochin uns 2000 anos atrás, e suspeita-se que esses foram os primeiros judeus a pisarem em solo Indiano. Nessas idas e vindas de invasores na cidade de Cochin, alguns ainda com o gosto da Inquisição Ibérica na boca, os templos judeus foram arrasados, porém o marajá ao retomar o poder finalmente, mandou erguer novamente os templos, contudo nada pode fazer a respeito dos acervos destruídos.


Os Ingleses surgiram no subcontinente atrás do dote da princesa Portuguesa, Catherine da Bragança - as taxas, tarifas e emolumentos recolhidas da cidade de Bombaim (atual Mumbai) eram dela - a qual havia se casado com o Rei Charles II da Inglaterra na 1ª metade do século 18; não demorou muito para os Ingleses trocarem o nome Bombaim (Boa Baia) para ‘Bombay’.


Os judeus de Baghdad não demoraram para chegar nessa cidade, atraídos pelo grande ímpeto que os Ingleses iriam dar aos negócios entre a Índia, China e o Golfo Pérsico. Nasce assim um outro grupo, os judeus Baghdadi, super versáteis, falando Árabe e Persa e cuja condição econômica era superior aos judeus locais.


Os estados de Mizoram e Manipur do lado nordeste da Índia fazem fronteira com o estado de Assam (produtor de chá) e o país vizinho Myanmar. Muitos ‘pais de família’ ‘Baghdadi’ se mudaram para Kolkata, capital de Bengala, cidade que era dotada de boa infraestrutura (naquela epoca), para dirigir seus negócios de perto.


Até 1947-48, a comunidade judaica indiana totalizava 35,000 pessoas no auge, porém com a criação do estado de Israel, grande parte dos judeus Bene Israel emigraram para Israel.


Alguns judeus Bene Israel ficaram muito irritados com a atitude dos judeus ashkenazi de Beer Sheva, os quais os discriminavam por falarem Marathi, usarem sari, comerem ‘curry e arroz’ etc., além de ter a cútis morena. Tamanha raiva, alguns Bene Israel preferiram retornar para a Índia!!


Os judeus de Cochin se deram bem, por serem mais humildes do que os Bene Israel - foram reassentados em colônias agrícolas em Israel, tendo prosperado muito desde entao.


Os Baghdadi foram para Inglaterra, Canada, Austrália e EUA.


Os de Mizoram e Manipur ainda estão na Índia, embora uma pequena parte foi reassentada no West Bank (Jerusalém).


Para informações mais detalhadas acesse:

http://www.strategypage.com/militaryforums/36-19039.aspx

http://www.beneisraelheritage.com/aboutus.htm

Nos anos ´90, o engº Nissim Moses foi colocado a frente de um escritório de negócios militares entre Israel e Índia, escritório esse que fez com que o Israel ocupasse o cobiçado lugar de 2º parceiro militar da Índia, logo após a Rússia.


Da comunidade ‘Bene Israel’ veio o almirante da Marinha Indiana, Benjamin Sampson, responsável por dar início a construção de navios de guerra na Índia http://www.defenceindia.com/defenceind/obituary.html também Mike Samuel, que foi o 1º Chefe da Polícia da Marinha Indiana, tendo iniciado sua carreira humildemente como ‘stoker’ (marinheiro que alimenta caldeira).


Não podemos esquecer os Bene Israel que foram os pioneiros nos dias do cinema mudo de ‘Bollywood’ http://www.indiaglitz.com/channels/hindi/article/19064.html e ‘Miss Teen Israel’ alguns anos atrás: http://www.ynet.co.il/articles/0,7340,L-3049298,00.html


Para saber mais sobre o papel dos judeus indianos na indústria cinematográfica de Bollywood, leia a postagem de hoje do blog CINEMA INDIANO.


O ‘Capo di tutti Capi’ dos ‘Baghdadi’ foi David Sassoon http://en.wikipedia.org/wiki/David_Sassoon


O exercito Indiano teve pelo menos um ‘Baghdadi’ em posição de destaque, o LTN General JFR Jacob http://en.wikipedia.org/wiki/J._F._R._Jacob durante e após a 2ª Guerra Mundial, a Marinha Indiana teve pelo menos dois Comandantes (plenos) oriundos dessa comunidade, Maurice Sassoon e Fred Sopher.


O website a seguir apresenta detalhes dos vários cemitérios judaicos na Índia, e os interessados poderão observar as inscrições nas lápides dos ‘Bene Israel’, a parte superior em hebraico, seguido de Marathi: http://picasaweb.google.com/shapurkar


Colaborou: Marcia Barbu


ATENÇÃO: Quem usar esta postagem para trabalho escolar sem citar o Indiagestão receberá a grande maldição indiana!!!! HAHAHAHAHAHAHA Eh serio!! :)


Om Shanti