4 de maio de 2009

Sozinha na India - Parte 4



Namaskar

Continuando com o depoimento da nossa querida Lucia...

Depoimento 4


Ir para a Índia e não visitar o Taj Mahal é a mesma coisa que não ir, portanto eu decidi fazer um roteiro que pudesse unir algumas cidades famosas perto umas das outras. A melhor coisa que fiz foi comprar todos os bilhetes de trem em um único local.



Fui a estação de trem de Delhi e comprei de uma vez só as passagens para Agra, Jaipur e Jaisalmer. Comprei bilhetes para AC train, isto é, com ar condicionado. Somente quem tem dinheiro na Índia viaja de AC train, pois é mais seguro e você vai deitado nas cabines. Eles fornecem cobertor, travesseiro, toalha e lençóis limpos. O pessoal mais simples vai na sleeper class, que não preciso nem descrever como é.


Meus bilhetes foram comprados no escritório de turismo para estrangeiros, que fica no primeiro andar. Normalmente, este escritório tenta agrupar os estrangeiros em uma única cabine ou próximos uns dos outros. Sem falar que eles tentam juntar as mulheres em um mesmo local, o que é bem seguro e para a mulher que pretende ir a Índia e andar de trem é mais do que recomendável.


O governo indiano tem uma preocupação muito grande com os estrangeiros pois eles sabem que a principal fonte de renda do país vem do turismo e se algo de ruim acontece com algum estrangeiro a mídia massacra. Daí a preocupação em manter em segurança os estrangeiros. Não tenho do que reclamar pois foram super tranqüilas as minhas viagens de trem. O maior perigo mesmo são nas estações com as malas onde sempre tem uns gaiatos de olho na sua bagagem.


O melhor das viagens de trem são as amizades que fazemos com outros estrangeiros ao longo do trajeto. Eles sempre dão dicas de onde ficar, onde comer e o que fazer. Eu não entendia como os estrangeiros, que ganham em libras, euro ou dólar ficavam em lugares bem simples mesmo, alguns até mukifos, uma vez que eles tinham dinheiro para gastar. Bom, o fato é que eu me aproveitei desta situação e sempre anotava as dicas deles e no final lá estava eu com o meu roteiro pronto e sem gastar muito. Foi por isso que meu dinheiro rendeu tanto e eu pude comprar muitas coisas.


Mas uma coisa é certa: é preciso saber falar bem o inglês para se comunicar com os estrangeiros e principalmente para entender o sotaque indiano, que é bem diferente do inglês falado na Inglaterra. Eu, que sei inglês passei bastante aperto em entender o sotaque deles e me fazer entendida por eles, imagina então alguém que tem o inglês básico ou intermediário! Portanto quem não sabe inglês ou não domina bem precisa estudar mais para se sentir seguro por lá.


No mais, sempre em que eu estava em dúvida de algo nas estações de trem eu só perguntava aos estrangeiros. Recomendo perguntar qualquer coisa a eles ou no máximo a algum indiano que esteja carregando um laptop pois eles costumam ser mais confiáveis já que estão viajando a trabalho e possuem um nível educacional melhor.


Continua amanha...


Incredible Serie de Depoimentos!


Om Shanti


Copyright - A reprodução é PROIBIDA. Se o fizer, pelo menos que o/a autor(a), a fonte e o blog INDI(A)GESTÃO sejam devidamente citados e os links corretamente fornecidos!!


Users copying anything from this blog must give this blog's link in their site!

Ao deixar um comentário, por favor IDENTIFIQUE-SE.