11 de setembro de 2009

Tata no Brasil


Tata Indica

Namaskar

Segue abaixo uma importante noticia sobre economia.

A Tata Motors, a mais importante montadora de veículos da Índia, produzirá 20 mil camionetas de cabine dupla na fábrica da Iveco em Sete Lagoas (MG), já no próximo ano, segundo informou na sexta-feira o cônsul da Índia em Belo Horizonte, Élson Barros.

Anteriormente, a produção do modelo estava prevista para ser realizada exclusivamente nas instalações da Fiat em Córdoba, na Argentina. O veículo é semelhante à Ranger, da Ford, e à S-10, da General Motors. Inicialmente, terá componentes vindos do país vizinho, sobretudo de áreas pintadas, já que este é um setor que no momento trabalha em três turnos e no limite da capacidade na unidade mineira de caminhões da Iveco, pertencente ao grupo Fiat. Segundo o diplomata, a produção dos carros da Tata pela Fiat faz parte de um negócio mundial entre as montadoras italiana e indiana e é maior que um simples acordo de complementação de produção. De acordo com Élson Barros, o principal acionista da empresa indiana, Ratan Tata, integra o conselho de administração do grupo Fiat.

O diplomata lembrou que as negociações entre a Fiat e a Tata para a produção da camioneta são realizadas há mais tempo e que não há uma única semana em que ele não assina visto diplomático para a entrada de engenheiros brasileiros na Índia. Muitos técnicos indianos também visitaram a unidade mineira da Iveco. Elson Barros, que é brasileiro, descendente de indiano e estudou naquele país, é cônsul honorário em Belo Horizonte e acompanha todas as autoridades e empresários indianos em visita a Minas Gerais, sempre a bordo de uma luxuosa limousine Jaguar, preta, uma marca inglesa que hoje pertence à Tata.

O diplomata revelou que participou de negociações com representantes da Stola, Aethra e da Sada Transportes, que são importantes fornecedores da Fiat Automóveis e terão participação no projeto de produção das camionetes. O modelo não é fabricado pela montadora italiana no Brasil e esse segmento equivale a pelo menos 15% do mercado das caminhonetes leves, derivadas de automóveis. Na segunda-feira, o executivo Prabir Saha, um dos mais importantes da Tata Motors, estará em Belo Horizonte.

A iniciativa é do consulado da Índia, país que ganhou muita importância no estado desde que o grupo indiano Mittal assumiu o controle da siderúrgica Belgo-Mineira (por meio da Arcelor) e pela parceria com a Fiat Automóveis, que tem fábrica em Betim, com a montadora indiana Tata.

Todos os participantes serão recebidos em almoço inaugural do restaurante de comida indiana que funcionará no prédio do consulado da Índia e foi aberto para atender a uma recomendação do milionário indiano Lakshmi Mittal, principal acionista do grupo siderúrgico ArcelorMittal, que só se alimenta com comida típica do seu país.

O restaurante tem o sugestivo nome Maharaj e foi concebido com o objetivo de divulgar a cultura indiana e fortalecer ainda mais a relação entre os dois países, tendo como referencia a capital mineira. O local será utilizado brevemente para Lakshmi Mittal reiterar uma informação anterior de que manterá a sede do seu grupo em Belo Horizonte.

O cônsul da Índia mostrou-se decepcionado com a maneira como os brasileiro em geral e os mineiros, em especial, ainda se mostram incrédulos com a estatura dos grupos industriais indianos e dos negócios por eles anunciados. No entanto, lembrou que, a despeito da desconfiança em relação à pujança do capital e da tecnologia indiana, eles adquiriram o grupo Arcelor e todas as empresas do conglomerado no Brasil. Além disso, não recorreram a financiamentos brasileiros para fechar o capital das empresas pertencentes à Arcelor e, mais recentemente, da sua subsidiária Acesita. Disse também que a presença do grupo Tata na Fiat é muito maior do que se conhece publicamente.

Durante festa de apresentação dos caminhões Iveco em concessionária da marca em Belo Horizonte, um funcionário graduado da montadora italiana de veículos pesados confirmou a construção de mais um galpão na fábrica de Sete Lagoas para a montagem de veículos e um " aperfeiçoamento na seção de pinturas", que já trabalha em regime de três turnos. O executivo disse que o novo galpão terá o propósito específico de abrigar a produção das cabines do caminhão pesado Stralis, que hoje é realizada exclusivamente em Córdoba, na Argentina.

O grupo Tata é uma gigante multinacional indiana composta por 98 companhias. Tem negócios em sete setores da economia e no último dia 6 de dezembro seu valor de mercado atingiu US$ 72,2 bilhões. O faturamento do grupo foi de US$ 28,8 bilhões no último ano fiscal encerrado em 2007 e o da Tata Motors ficou em US$ 7,2 bilhões no período.

Fonte: Gazeta Mercantil

Incredible Tata!

Om Shanti