25 de abril de 2011

Um Afegao pelo Mundo


Namaskar

Um Afegão Pelo Mundo


Eu tive o grande prazer em conhecer pessoalmente aqui na Índia, um rapaz inteligente e muito bem educado, de um dos países que mais sofre atualmente com o terrorismo, seu nome é Qahid Hamid, e solicitei-lhe que descrevesse com suas próprias palavras o que é ser deste país. Segue seu depoimento...

Como é ser um Afegão


Por: Qahir Hamid

Conversas param, comportamentos mudam a partir do momento que você diz o nome do seu país... sim, o AFEGANISTÃO.


A próxima pergunta que você pode facilmente esperar é sobre o terrorismo. O falso estigma que é agora como um dos muitos sinônimos, juntamente com o nome do meu país.


Uma vez um dos principais pontos da Rota da Seda, berço de grandes estudiosos do mundo como Maulana Jalaluddin, Abu Ali Ibn Sina e Sayed Jamaluddin, O Afeganistão agora é uma terra de misérias sem fim para seus habitantes.


Eu mal havia começado a dar meus primeiros passos quando a guerra começou. Regimes estavam mudando mais rápido do que as estações do ano. Naturalmente eu não percebia nada na época... a invasão soviética, a resistência mujahedin, as lutas internas dos mujahedin, o Taliban, em seguida, veio a Aliança do Norte com as forças da coalizão, incluindo 26 países etc ....


Um país com mais de 4 milhões de emigrantes, 1 milhão de mortes, centenas de milhares de pessoas mutiladas, ruas lotadas de órfãos e viúvas. As misérias são inúmeras; às vezes penso comigo mesmo, que preço estamos pagando, somos nós Sodoma e Gomorra de hoje?


Apesar de todos os obstáculos impostos, da guerra, há uma luz de esperança em todos os olhos com lágrimas. Toda noite tem um amanhecer, já fomos uma vez uma nação pacífica, com orgulho perante as outras nações; se é verdade que a história se repete, tenho esperança que isso ocorra novamente.


É surpreendente, mas os afegãos não conheciam Osama ben Laden, ou a Al-Qaeda antes de 11/09.


O ataque terrorista de 11/09 às torres gêmeas do WTC em Nova York, trouxe novamente a tona, o há muito tempo esquecido nome do Afeganistão à mídia; que se baseia principalmente em propagandas políticas e estereótipos ocidentais.


Dez anos se passaram desde que tivemos um governo eleito, e é triste dizer que a pouca esperança que as pessoas tinham está diminuindo. No entanto, prefiro olhar para a frente, para um futuro brilhante; estou cansado de viver como um Narco e cidadão de um pais em guerra!


Qahid Hamid faz parte dos 4 milhões de afegãos que emigraram em busca de uma vida melhor, sem guerras e seus horrores. Inicialmente ele veio para a Índia mas atualmente está em um país do norte da Europa. Ele cresceu vendo diariamente as perversidades da guerra e do terrorismo, mesmo assim Qahid tem uma alma gentil e pacifica e foi uma grande lição de vida para mim te-lo conhecido. Hoje em dia penso antes de reclamar pois sei que apesar de existirem coisas boas e ruins em todos os cantos do mundo, infelizmente existem alguns lugares onde as pessoas sofrem muito mais.




.