28 de maio de 2007

Autobiografia de Gandhi - Parte 5



28/05/2007

Continuando com a autobiografia de Gandhi....

Apareceu uma oportunidade para Gandhi ir trabalhar na África do Sul e ele foi “I wanted somehow to leave India” os indianos que moram fora da Índia por uns tempos tem dificuldades para se adaptar as precárias condições deste país e no geral não querem mais retornar. Isto eu já sei faz tempo, é assim até hoje; o que eu não sabia é que já era assim naquela época (1893). Quem toma gosto pela civilização e higiene não quer voltar a ser primitivo novamente. Só eu fiz o caminho contrario hahahahahaha tomei gosto pela sujeira. São tantos indianos fora daqui que o governo criou até um termo para eles “NRI” ou seja, “Non Resident Indians”. Não é de se criticar o fato dos indianos quererem sair da imundice e procurar uma vida melhor.

Neste 1 ano desde que voltou da Inglaterra, Gandhi fez mais um filho com a esposa. Sua libido continuava em alta, mas mesmo assim, mais uma vez ele deixou a mulher com um bebê recém nascido para trás e embarcou para a África do Sul.

Fico imaginando quantos filhos ele teria tido se tivesse morado com a esposa todos estes anos, ao invés de ir para a Inglaterra e África do Sul????????

Neste capítulo CHEGADA A NATAL, Gandhi conta ainda que conseguiu se segurar e não transar com uma prostituta negra do navio que o conduzia a África. Conta também como ficou surpreso com o tamanho das frutas e legumes africanos pois na Índia os legumes e frutas são mirrados assim como o povo.

***

Gandhi não confessa sua ignorância em relação a África do Sul, mas deixa isso claro nas entrelinhas. Ele não utiliza a palavra Apartheid mas fala da discriminação que os indianos sofriam. Todo e qualquer indiano era chamado de “coolie” na África do Sul naquela época. “Coolie” significa carregador.

Neste capítulo, ALGUMAS EXPERIÊNCIAS, Gandhi conta que entrou no fórum africano usando turbante. Foi barrado pois era proibido usar turbante dentro do fórum. Gandhi protestou e fez um rebuliço e acabou conquistando o direito de usar turbante. Orgulhoso, ele declara “My turban stayed with me practically until the end of my stay in South Africa”. Ele usou o turbante praticamente até o fim de sua primeira estada na África do Sul.

***

A CAMINHO DE PRETORIA é o capítulo que conta como Gandhi foi expulso do trem pois estava viajando na primeira classe que era reservada somente para os brancos. Eu não vou contar mais nada porque tem isso no filme Gandhi que eu pedi para você assistir no início desta nossa narrativa da autobiografia de Gandhi.

***

CONTATOS CRISTÃOS é o capítulo onde Gandhi diz ter lido muitos livros cristãos e ter participado das orações e missas dominicais durante sua estada na África do Sul.

***

Gandhi entrou em contato com os outros indianos que moravam na África do Sul e achou seus hábitos insalubres e disse-lhes que precisavam ser mais limpos e higiênicos. Disse também que deveriam aprender inglês.

***

“I became disgusted with the profession.” Gandhi se decepcionou com a profissão de advogado. Ele queria ser honesto, não mentir, não distorcer palavras e descobriu que era difícil sobreviver sendo um advogado honesto. Gandhi conta então, a história de diversos casos que defendeu.

Gandhi confessa que confiava facilmente nas pessoas e se iludia quanto a seus caráter. Não sabia analisar o íntimo das pessoas e por isso mesmo foi muitas vezes surrupiado e pego de surpresa.

Durante os 3 primeiros anos na África do Sul aprendeu 2 línguas do sul da Índia, Tamil e Telegu.

FOTOS: Gandhi aos 26 anos de idade e Kasturba com os filhos.

FILME: O fim de semana passou e você não alugou o filme Gandhi para assistir. Que tristeza!! Eu me esforço, faço minha parte, mas você não faz a sua. Quem sabe se você vir este trailer você se convença e finalmente assista a este filme vencedor de 9 Oscars.

http://youtube.com/watch?v=mVwCeGxTN-A&mode=related&search=

Continua amanhã.....

Om Shanti