2 de abril de 2007

Comedora de pimenta - Bezerro carnívoro


Namastê

Nova Déli quer criar energia a partir de suas toneladas de lixo

As autoridades de Nova Déli, uma das cidades que mais produz lixo na Índia, estudam transformar em combustível parte das sete mil toneladas de resíduos que se amontoam diariamente nas ruas e lixões da metrópole.

Agora, a prefeitura de Nova Déli decidiu buscar o lado rentável destes gigantescos

volumes de lixo, e criar, a partir disso, combustível, por meio do sistema "Combustível Derivado de Resíduos" (RDF, na sigla em inglês), que divide opiniões. Nas últimas semanas, cinco empresas locais concorreram pelos 'direitos' das montanhas de lixo.


Trata-se de aproveitar o calor da incineração para obter energia. Mas, embora seus responsáveis o tenham apresentado como um projeto ecologicamente correto, o fundador da NSWAI (Associação Nacional de Resíduos Sólidos da Índia), Amiya Kumarn, afirma que é 'mais prejudicial que beneficente'.

"O principal problema é que, aqui, o lixo não é separado de forma adequado e, ao ser queimado, libera gases tóxicos", afirmou Kumar, contrário ao pré-acordo firmado por Nova Déli com uma empresa local, para produzir energia a partir da incineração do lixo.

"Lixo é dinheiro. E os responsáveis estão muito conscientes disso", ressaltou Kumar, admitindo que, infelizmente, há muitas "interferências políticas" na hora de tramitar o problema dos resíduos na capital.


***

Bezerro sagrado é pego comendo galinhas no meio da noite

Moradores de um vilarejo na Índia estavam intrigados com o sumiço de aves.
Seria obra de ladrões ou de cães famintos?

Ao ver sua pequena granja sendo misteriosamente dizimada dia após dia no vilarejo de Chandpur, na Índia, o criador Ajit Ghosh resolveu investigar.

Na noite de segunda-feira, com a ajuda de parentes, ele ficou de campana no galpão onde a vaca dormia, perto das galinhas. Ele imaginava flagrar algum ladrão ou um animal carnívoro, como os cachorros do vilarejo.

Mas a solução do enigma não estava lá fora, e sim dentro do galpão. Estarrecido, Ajit viu sua pequena e amada vaca Lal - um animal sagrado para os hindus e naturalmente herbívoro - devorando impiedosamente várias penosas.

"Ficamos chocados. Em vez de cães, vimos nossa Lal capturando as pequenas vítimas com a precisão de um gato selvagem", disse Gour Ghosh, irmão de Ajit.

”As pessoas daqui estão falando que Lal era um tigre na vida anterior", afirmou Ajit, ainda inconformado

***

Indiana vai comer a pimenta mais forte do mundo até cair

Planta descoberta na Índia é 100 vezes mais forte que a pimenta mexicana.
Moradora local já agüentou 60, mas quer bater a marca para entrar no Guinness.

Motivada pelo recente reconhecimento da pimenta de sua região (no nordeste da Índia) como a mais ardida do mundo pelo Guinness, o Livro dos Recordes, uma moradora local se prontificou a quebrar outro recorde.

Ela pretende comer a maior quantidade possível dessa pimenta matadora de uma só vez, enquanto agüentar. O recorde atual pertence à sul-africana Anita Crafford, que em 2002 comeu oito jalapenhos em um minuto.

A desafiante indiana, Anandita Dutta Tamuly, de 26 anos, acha que terá uma certa dificuldade durante a prova. A pimenta que vai comer, apelidada de "pimenta fantasma", é cem vezes mais forte que o jalopinho (a preferida dos mexicanos).

A vantagem é que Anandita cresceu comendo a pimenta fantasma, que tem esse nome porque "espanta até espírito". Quando era criança, sua mãe encheu sua língua de pimenta na esperança de curar uma infeção. Ela gostou e não parou mais.

A convite dos organizadores do Guinness, ela está de malas prontas rumo à Inglaterra para realizar a façanha. "Já fiz história na televisão da Índia por mastigar 60 em dois minutos. Estou confiante de que vou bater esse recorde quando chegar a Londres", disse Anandita.

Como diz uma amiga minha, “tudo que entra queimando sai queimando”. Haja boca, estômago e .... para agüentar tanta pimenta!!!

Incredible India!

OM Shanti